Audiodescrição: Acessibilidade para Cursos EaD

  • Brisa Teixeira de Oliveira TIC TAG Comunicações Acessíveis
  • Andreza Regina Lopes da Silva IPDAAL - Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Acadêmico Andreza Lopes http://orcid.org/0000-0003-1530-8908

Resumo

  Considerando a importância dos recursos educacionais para a formação na modalidade a distância, questiona-se: Como torná-los acessíveis para pessoas com deficiência visual? Com base nessa problemática, o objetivo neste artigo é apresentar um conjunto de diretrizes para recursos educacionais comumente utilizados na modalidade a distância, de modo que estes sejam acessíveis às pessoas com deficiência visual. Para atender esse objetivo, os procedimentos metodológicos utilizados para esta pesquisa teórico-prática foi a busca exploratória e descritiva da literatura sob a abordagem qualitativa intersectada ao estudo de caso do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Acadêmico Andreza Lopes. Como resultados, definiu-se um conjunto de diretrizes acessíveis, a partir do conceito e prática da audiodescrição, para orientar o desenvolvimento de diferentes recursos educacionais comumente utilizados em cursos EaD. Apesar de o resultado emergir de um estudo de caso, considera-se que tais diretrizes podem ser aplicadas a outras instituições, ampliando a oferta de cursos para pessoas com deficiência visual, potencializando o compromisso de incluir maior número de indivíduos que buscam o desenvolvimento continuado na sociedade atual, uma sociedade baseada no conhecimento. Palavras chave: Educação a Distância. Acessibilidade. Inclusão. Audiodescrição.  

Biografia do Autor

Andreza Regina Lopes da Silva, IPDAAL - Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Acadêmico Andreza Lopes
Doutora e Mestra no Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento (PPEGC) na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Especialista em Educação a Distância e em Auditoria Empresarial. Graduada em Administração e Pedagogia. Estudante em Psicanálise e Psicopedagogia. Coach e Mentora Acadêmica focada em resultados a partir do equilíbrio entre produtividade e bem estar . Experiência na área de Educação com ênfase em projetos de educação a distância, inovação e empreendedorismo; formação e desenvolvimento de competências. Das diferentes atividades desenvolvidas destaca-se uma atuação por resultado, como: coach e mentora, docente, palestrante, capacitação de equipe, formação de professores, designer educacional, supervisão e coordenação de projeto e de produção. Como consultora atuou no segmento público e privado com diferentes parceiros, como: UFSC (em projetos - UAB, UnaSUS, Aluno Integrado, Rede e-Tec Brasil, e-Nova); CEDERJ; Cerfead/IFSC (projetos UAB, PRF, Proforbas); IMAP e Delinea Tecnologia Educacional. Experiência também como pesquisadora e avaliadora de artigos científicos e projetos além de ampla atuação com liderança. Autora de livros e artigos científicos. Atualmente professora da Universidade de São José (USJ) nos cursos de Administração, Pedagogia e Análise e Desenvolvimento de Sistema. CEO do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Acadêmico Andreza Lopes (IPDAAL). Desenvolvedora e Facilitadora dos Programas de Coaching e Mentoria "Acadêmico em Ação"; "Profissional em Ação" e "Bem-Estar em Ação".

Referências

ARAÚJO, V. L. S.; ADERALDO, M. F. (Orgs.) Os novos rumos da pesquisa em audiodescrição no Brasil. Curitiba: CRV, 2013.

BRASIL. Lei n. 13.146, de 06 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm&gt;. Acesso em: 30 abr. 2018.

______. Decreto n. 9.057, de 25 de maio de 2017. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/decreto/D9057.htm&gt;. Aceso em: 20 abr. 2018.

IBGE. Censo demográfico 2010. Características gerais da população, religião e pessoas com deficiência. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. Disponível em: <http://www.pessoacomdeficiencia.gov.br/app/sites/default/files/publicacoes/cartilha-censo-2010-pessoas-com-deficienciareduzido.pdf&gt;. Acesso em: 11 maio 2018.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 2ª ed. São Paulo: EPU, 2013.

MOORE, M. G.; KEARSLEY, G. Educação a Distância: uma visão integrada. São Paulo:Thompson Learning, 2007.

MOTTA, L. M. M. V.; ROMEU FILHO, P. Audiodescrição: Transformando imagens em palavras. São Paulo: Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Estado de São Paulo, 2010.

NAVES, S. B. et al. (Org.) . Guia para Produções Audiovisuais Acessíveis.

Brasília: Ministério da Cultura Secretaria do Audiovisual, 2016. Disponível em: <https://grupoleaduece.blogspot.com.br/p/guia-para-producoes-audiovisuais.html&gt;. Acesso em: 01 maio 2018.

RBTV. Diretrizes para Áudio-descrição e Código de Conduta Profissional para áudio-descritores. Audiodescription: coalition.org, 2009. Disponível em: <http://www.associadosdainclusao.com.br/enades2016/sites/all/themes/berry/documentos/12-uniao-em-prol-da-audio-descricao.pdf&gt;. Acesso em: 05 abr. 2018.

SILVA, A. R. L. da et al. Guia do estudante: um artefato para a acessibilidade na EaD. In: VIII Congresso Brasileiro de Ensino Superior a Distância (ESUD), 2011, Ouro Preto. Anais do VIII Congresso Brasileiro de Ensino Superior a Distância (ESUD), 2011.

SNYDER, J. Construindo Imagens com Palavras - Manual de Treinamento abrangente e Guia sobre a História e Aplicações da Áudio-Descrição. Tradução de Andrea Garbelotti. Recife: Editora UFPE, 2017.

TORRES, E. F. et al. A acessibilidade à informação no espaço digital. Ciência da Informação. Brasília, v. 31, n. 3, p. 83-91, 2002.

Publicado
2019-02-20
Seção
Artigos Originais