Um Ambiente Virtual de Aprendizagem Matemática Inclusivo

Resumo

O presente artigo tem como finalidade apresentar a trajetória e alguns resultados de três pesquisas de mestrado desenvolvidas no Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Educação Matemática da Universidade Bandeirante de São Paulo (Brasil). As pesquisas tinham como objetivo comum verificar a possibilidade de interação entre pessoas com algum tipo de limitação sensorial (em nosso caso, surdos e cegos) e pessoas que não possuíam limitações no ambiente virtual de aprendizagem (AVA) Moodle, que foi devidamente adaptado para se tornar acessível. Após a aplicação de algumas fases e da realização de (re)designs do ambiente, aplicamos alguns problemas matemáticos; depois disso, realizamos coleta de dados; com a ferramenta Fórum de discussão, pudemos constatar que foi possível que pessoas cegas, surdas e aquelas que não apresentaram limitações sensoriais fizessem uso do mesmo AVA, estabelecendo assim, que nosso objetivo comum foi alcançado. Palavras-chave: Educação a distância. Ambiente virtual de aprendizagem. Necessidades educacionais especiais. Inserção no mercado de trabalho.

Referências

BAIRRAL, M. A. (2007). Discurso, interação e aprendizagem matemática em ambientes virtuais a distância. Seropédica: Edur.

BORBA, M.C.; MALHEIROS, A.P.S.; ZULATTO, R.B.A. (2007). Educação a Distancia online. Belo Horizonte: Autêntica.

BRASIL (1991). Lei 8.213 de 24 de julho de 1991. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8213cons.htm. Acesso em 24/05/2018.

CARREIRA, D. (2010). A INTEGRAÇÃO DA PESSOA DEFICIENTE NO MERCADO DE TRABALHO. Escola de Administração de Empresas de São Paulo – Fundação Getúlio Vargas. EAESP-FGV.

CINTRA, F., (2004). A acessibilidade da pessoa com deficiência no ambiente educacional. Políticas Públicas de Educação Inclusiva. Fórum Mundial de Educação. Atividade Auto-Gestionada do Fórum Permanente de Educação Inclusiva, São Paulo. Instituto Paradigma.

FERNANDES, S. H. A. A. (2004). Uma análise vygotskiana da apropriação do conceito de simetria por aprendizes sem acuidade visual. São Paulo. 300 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

MATIAS-PEREIRA, J. (2008). Políticas Públicas de Educação no Brasil: A utilização da EaD como Instrumento de Inclusão Social. Journal of Technology Management & Innovation, v. 3, n. 1, p. 44-55, mai./jul.

Publicado
2019-10-25
Seção
Artigos Originais