O QUE TUTORES INEXPERIENTES PENSAM SOBRE A MOTIVAÇÃO DOS ALUNOS NA EAD? UM ESTUDO DE CASO

Palavras-chave: Educação a Distância, Tutor, Motivação para aprendizagem

Resumo

Um dos importantes personagens da Educação a Distância (EAD) é o tutor. Entre suas tarefas, destaca-se a necessidade de motivar os estudantes para a aprendizagem. Logo, nesta pesquisa, deseja-se compreender como esses educadores caracterizam alunos motivados para o aprendizado e quais critérios utilizam para isso. Um pequeno grupo de nove tutores de um curso a distância, sem formação ou experiência prévia, respondeu a um questionário com quatro questões abertas, as quais foram analisadas por Análise Textual Discursiva. Desse modo, como critérios para a identificação de estudantes motivados para a aprendizagem, citaram: i) o comportamento ativo do aluno; ii) a busca por informações; iii) a assiduidade; iv) a prestação de esclarecimentos ao tutor; v) a preocupação com a qualidade das atividades desenvolvidas; vi) a manutenção/ evolução de notas; vii) a pontualidade na entrega de tarefas. Verifica-se, assim, que muitos desses critérios corroboram com resultados existentes na literatura. Porém assume-se que outros fatores podem estar relacionados à motivação do aluno na EAD e que novos critérios podem ser adicionados a estes, dependendo do contexto investigado. Acredita-se que esta pesquisa se soma às demais, na medida em que apresenta novos elementos para reflexão e aprimoramento da formação e atuação do tutor nos cursos a distância.

Referências

ALCARÁ, A. R.; GUIMARÃES, S.E.R. A Instrumentalidade como uma estratégia motivacional. Psicologia Escolar Educacional, v.11, n.1, p.177-178, 2007.
ALUANI, T. Atividade de tutoria na educação a distância: um estudo de caso em curso de formação continuada de professores de biologia. 2015. Dissertação (Mestrado em Ensino de Biologia) - Ensino de Ciências (Física, Química e Biologia), Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.
ARAUJO, M. V.; SILVA, J. W. B.; FRANCO, E. M. Motivação para o aprendizado em estudantes de graduação em Psicologia. Psicologia: teoria e prática, São Paulo, v. 16, n. 2, p. 185-198, ago. 2014.
BARBOSA, P. P. O desenvolvimento de competências e a prática docente no ensino superior. In.: BARBOSA, P. P. Metodologias ativas para o docente no ensino superior. 1. ed. São Paulo: SENAC São Paulo, v. 1, p. 7-26, 2019.
BARBOSA, P. P.; URSI, S. Motivação para formação continuada em Educação a Distância: um estudo exploratório com professores de Biologia. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 18, n.1, p.148-172, 2019.
BECKER, K. A. W.; FERRETTI, P. C.; DOMINGUES, M. J. C. S. EaD: O Perfil Desejável do Professor Tutor e o Uso dos Recursos Tecnológicos. Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e à Distância, v. 18, n. 1, 2019.
BORUCHOVITCH, E. A motivação para aprender de estudantes em cursos de formação de professores. Educação, Porto Alegre, v. 31, n. 1, p. 30-38, 2008.
BOTELHO, C. S.; MAFFRA, F. R. Didática e Competências Docentes: Um estudo sobre tutoria no curso de administração a distância da Universidade Estadual do Maranhão do projeto piloto da UAB. Revista EDaPECI, v. 2, n. 2, 2009.
BURNS, M. Distance Education for Teacher Training: Modes, Models and Methods, Washington, DC: Education Development Center, 2011.
CASTRO, R. I. V. G.; MATTEI, G. Tutoria em EaD On-Line: Aspectos da Comunicação que Favorecem a Interação Sócioafetiva em Comunidades de Aprendizagem. Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e à Distância, v. 7, 2008.
CAVENAGHI, A. R. A. Uma perspectiva autodeterminada da motivação para aprender línguas estrangeiras no contexto escolar. Ciências Cognitivas, v. 14, n. 2, p. 248-261, 2009.
GARCIA, P. S.; BIZZO, N. Science Teachers initial motivation for distance education. In: ESERA Conference, 2011, Lyon. THE ESERA 2011 CONFERENCE. Lyon, 2011. v. 1. p. 1-6.
HODGES, C.; MOORE, S.; LOCKEE, B.; TRUST, T.; BOND, A. The Difference Between Emergency Remote Teaching and Online Learning. EDUCAUSE Review. Disponível em:< https://er.educause.edu/toc/educause-review-print-edition-special-report-january-27-2020> Acesso em out.2020.
KELLER, J. M. Motivation in cyber learning environments. Educational Technology International, v.1., n.1, p. 7–30, 1999.
LANKSHEAR, C.; KNOBEL, M. A Handbook for Teacher Research: From design to Implementation. Maidenhead, UK: Open University Press, 2004.
LEÃO, D. M. M. Paradigmas contemporâneos de Educação: Escola Tradicional e Escola Construtivista. Cadernos de Pesquisa, nº 107, p.187-206, 1999.
LEFRANÇOIS, G. R. Theories of Human Learning: What the Old Woman Said (5th edition). Belmont, CA: Thomson Wadsworth, 2006.
LINDNER, J. Understanding employee motivation. Journal of Extension, v. 36, n. 3, p. 37 –41, 1998.
LOURENÇO, C. D. S.; LIMA, M. C.; NARCISO, E. R. P. Formação pedagógica no ensino superior: o que diz a legislação e a literatura em Educação e Administração? Avaliação: Revista de Avaliação da Educação Superior, v. 21, n. 3, p. 691-717, 2016.
LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986
MEC Ministério da Educação e Cultura. Referenciais de qualidade para a Educação Superior a Distância/ Secretaria de Educação a Distância – Brasília, 2007, 31p.
________.Portal MEC, 2021. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/component/content/article?id=12823:o-que-e-educacao-a-distancia. Acesso em: 01 fev. 2021.
MOORE, M. G., KEARSLEY, G. Distance education: A systems view. New York: Wadsworth Publishing Company, 2011.
MORAES, R.; GALIAZZI, M. C. Análise Textual Discursiva. Ijuí: Unijuí, 2007.
MURPHY, L.; SHELLEY, M.; BAUMANN, U. Qualities of effective tutors in distance language teaching: student perceptions. Innovation in Language Learning and Teaching, v.4, n.2, p. 119–136, 2010.
PALLOF, R. M., PRATT, K. Construindo comunidades de aprendizagem no ciberespaço: Estratégias eficientes para a sala de aula online.Tradução Vinícius Figueira. Porto Alegre: Artmed, 2002.
PAVESI, M. A.; OLIVEIRA, D. M. B. Qual o lugar da motivação nas pesquisas sobre EaD? In: X CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO – EDUCERE E I SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE REPRESENTAÇÕES SOCIAIS, SUBJETIVIDADE DA EDUCAÇÃO – SIRSSE. Curitiba: PUC, 2011.
PICCOLI, G.; AHMAD, R; IVES, B. Web-based virtual learning environments: a research framework and a preliminary assessment of effectiveness in basic IT skills training. MISQuarterly, v. 25, n. 4, p. 401-426, 2001.
PINTRICH P, R.; SCHUNK, D. H. Motivation in education - theory, research and applications. New Jersey: Merril Prentice Hall, 2002.
SCHLOSSER, R. L. A atuação dos tutores nos cursos de educação a distância. Revista Digital da CVA – Ricesu. v. 6, n. 22, 2010.
SCHRUM, L.; HONG, S. Dimensions and strategies for online success: Voices from experienced educators. Journal of Asynchronous Learning Networks, v 6, Issue 1, p.57-67, 2002.
SEN, S.; YILMAZ, A.; YURDUGÜL, H. An Evaluation of the Pattern between Students’ Motivation, Learning Strategies and Their Epistemological Beliefs: The Mediator Role of Motivation. Science Education International, v.24, n.3, p.312-331, 2014.
SERAFINI, A. M. S. A autonomia do aluno no contexto da Educação a Distância. Revista Educação em foco, Juiz de Fora, v. 17, n. 2, p. 61-82, 2012.
SOEK, A. M.; HARACEMIV, S. M. C. O professor/tutor e as relações de ensino-aprendizagem na educação a distância. Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e a Distância, São Paulo, v. 7, n. 1, p 1-11, 2008.
TELLES, W. R.; ESQUINCALHA, A. C. O tutor a distância e sua formação para o trabalho em ambientes virtuais de aprendizagem. Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e à Distância, v.16, 2017.
VERGARA, S. C. Estreitando relacionamentos na educação a distância. Cadernos EBAPE.BR, v.5, n.spe, p.01-08, 2007.
WHITE, C.; MURPHY, L.; SHELLEY, M.; BAUMANN, U. Towards an understanding of tutor attributes and expertise in distance language teaching: Tutor maxims. In T. Evans, P. Smith, & E. Stacey (Eds.), Research in distance education 6, Geelong: Deakin University, p. 83–97, 2005.
XIAO, J. Tutors’ influence on distance language students’ learning motivation: voices from learners and tutors. Distance Education, v.33, Issue 3, p. 365-380, 2012.
Publicado
2021-09-02
Seção
Artigos Originais