PRÁTICA EXTENSIONISTA EM MEIO À PANDEMIA

ANÁLISE DAS PERCEPÇÕES DISCENTES EM UM CURSO DE CONVERSAÇÃO EM ESPANHOL

Palavras-chave: Língua Espanhola, Covid-19, extensão universitária, Ensino Remoto de Emergência

Resumo

Este texto tem como objetivo apresentar um relato de uma experiência docente mobilizada no âmbito da extensão universitária, iniciada em março e concluída em junho de 2020, durante a pandemia da Covid-19. O campo do conhecimento em questão são aulas de língua espanhola com foco no ensino da conversação. São descritos e problematizados os procedimentos metodológicos adotados, bem como reflexões a respeito do material didático elaborado para o contexto específico da pandemia, por meio da plataforma Canva, bem como a produção de vídeos para o YouTube que seguiram os princípios do microlearning. Também, são tecidas reflexões sobre o tempo de duração para as aulas síncronas (as quais, no caso dessa experiência, ocorreram com o uso do Google Meet, disponibilizado pela universidade), o número ideal de alunos para esse tipo de proposta, bem como o papel do uso do WhatsApp durante o processo. A experiência é relatada a partir do ponto de vista discente, mediante a síntese das respostas de um questionário anônimo disponibilizado ao final do curso, comparando estatisticamente o conjunto de percepções a respeito do modelo adotado. Os resultados mostram que a interação professora-alunos foi o item mais bem avaliado, e o pior avaliado foi a divulgação do curso pré-inscrição.

Biografia do Autor

Valesca Brasil Irala , Universidade Federal do Pampa
É graduada em Letras – Português/Espanhol e respectivas literaturas (Licenciatura) pela Universidade da Região da Campanha (URCAMP). Especialista em Língua Espanhola pela Universidade Católica de Pelotas. Possui mestrado e doutorado em Letras – Linguística Aplicada pela Universidade Católica de Pelotas (UCPel). Realizou pós-doutorado na Universidad de la República, na Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación. É docente do curso de Letras – Línguas Adicionais (Inglês e Espanhol) e do Mestrado Acadêmico em Ensino da UNIPAMPA. Coordena o projeto “Aprendizagens ativas e colaborativas: análise da percepção docente, do engajamento discente, da autorregulação e do processo avaliativo” e é líder do Grupo de Pesquisa sobre Aprendizagens, Metodologias e Avaliação (GAMA). É membro da Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED). 
Leandro Blass, Universidade Federal do Pampa
É graduado em Matemática (Licenciatura) pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ). Possui mestrado em Modelagem Matemática  pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ) e doutorado em Modelagem Computacional pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). É docente da área de Matemática da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), campus Bagé, atuando em diversos cursos de engenharia e licenciaturas. É membro do Grupo de Pesquisa sobre Aprendizagens, Metodologias e Avaliação (GAMA/registrado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq). 
Fabiana Campos de Borba Vincent, Universidade Federal do Pampa
Possui graduação em Letras-Português/ Inglês e Respectivas Literaturas pela Universidade Federal do Pampa- UNIPAMPA (2012). Possui Especialização em Língua Inglesa pela Universidade Cidade de São Paulo- UNICID ( 2013). Graduada em Licenciatura em Filosofia pela Universidade Federal de Pelotas - UFPEL (2018). Licenciada em Pedagogia pela Faculdade Educacional da Lapa - FAEL (2020). Graduanda em Ciências Contábeis pela UniCesumar. Mestranda no Programa de Pós-graduação Mestrado Acadêmico em Ensino, da Universidade Federal do Pampa, Campus Bagé. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa e Inglesa. Atualmente, trabalha como Técnica Administrativa em Educação na Universidade Federal do Pampa lotada na Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (PROPPI), exercendo a função de Coordenadora de Gestão de Projetos de Pesquisa. É membro suplente do Comitê de Acompanhamento e Avaliação do Programa de Educação Tutorial/PET. Membro titular do Comitê Gestor do Portal Publica-se. Membro da Comissão Especial para Acompanhamento da Evasão e Retenção e membro suplente do Comitê Gestor do Programa de Desenvolvimento Acadêmico.

Referências

ABIODUN, R. et al., A WhatsApp community of practice to support new graduate nurses in South Africa. Nurse Education in Practice, v. 46, p. 102826, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.nepr.2020.102826. Acesso em: 24 dez. 2020.

ARRUDA, E. P. Educação Remota Emergencial: elementos para políticas públicas na educação brasileira em tempos de Covid-19. Revista de Educação a distância Em Rede, v.7, n.1, p.257-275, 2020.

BARBOUR M. et al. Understanding Pandemic Pedagogy: differences between Emergency Remote, Remote and Online Teaching (Relatório Técnico), dez. 2020. Disponível em: 10.13140/RG.2.2.31848.70401.Acesso em: 24 dez. 2020.

BARROS, E. D., IRALA, V.B. Entre el lugar de la resistencia y el lugar del aprendizaje: “professora, tu pode falar português?”. In: CARVALHO, T. (org.). Espanhol e Ensino: relato de pesquisa. Mossoró: UERN, 2012, p. 59-68.

BERGSLEITHNER, J.M.; WEISSHEIMER, J.; MOTA, M.B. (orgs.). Produção oral em LE: múltiplas perspectivas. Campinas: Pontes, 2011.

BUHU, A.; BUHU, L. The Applications of Microlearning in Higher Education in Textiles.
The 15th International Scientific Conference eLearning and Software for Education, Bucharest, Abr.,11-12, p. 273-376, 2019. Anais... Disponível em: 10.12753/2066-026X-19-189189. Acesso em: 14 jun. 2020.

CHAHAL, A. et al. WhatsApp in University: Friend or Foe. Journal of Clinical and Diagnostic Research, v. 13, n.12, 2019. Disponível em: https://www.doi.org/10.7860/JCDR/2019/41276/13336. Acesso em: 14 jun. 2020.

CRONBACH, L. J. Coefficient alpha and the internal structure of tests. Psychometrika, v. 16, n. 3, p. 297-334, 1951.

DINIZ, E. et al. A extensão universitária frente ao isolamento social imposto pela COVID-19. Braz. J. of Develop., Curitiba, v. 6, n. 9, p. 72999-73010, sep. 2020.

FERRARI, E.F.; SÁENZ, J.L. Didáctica prática para la enseñanza básica, media y superior. 3 ed. Montevidéu: Magro, 2018.

FIALHO, V. Educação a distância na perspectiva da Complexidade: análise das condições iniciais para a eclosão de um sistema de aprendizagem. In: VETROMILLE-CASTRO, R.; HEEMANN, C., FIALHO, V. (orgs.). Aprendizagem de Línguas – a presença na ausência: CALL, Atividade e Complexidade. Pelotas: Educat, 2012, p. 257-286.

FIELD, A. Descobrindo a Estatística Usando o SPSS. Porto Alegre: Artmed, 2009.

GEHRED, A. P. Canva. Journal of the Medical Library Association, [S.l.], v. 108, n. 2, p. 338–340, Abr. 2020. Disponível em: http://jmla.pitt.edu/ojs/jmla/article/view/940/1062. Acesso em: 8 jun. 2020.

HEEMANN, C. Formação de comunidades em ambientes virtuais de aprendizagem: transpondo limites e criando conexões. In: VETROMILLE-CASTRO, R.; HEEMANN, C., FIALHO, V. (orgs.). Aprendizagem de Línguas – a presença na ausência: CALL, Atividade e Complexidade. Pelotas: Educat, 2012, p. 83-108.

INGOLD, T. The perception of the environment: essays of livelihood, dwelling and skill. Londres/Nova York: Routledge, 2000.

IRALA, V.B. Produção oral em língua estrangeira: contornos identitários múltiplos no processo de avaliação. In: STURZA, E.; FERNANDES, I.; IRALA, V. (orgs.). Português e espanhol: esboços, percepções e entremeios. Santa Maria: PPGL Editores, 2012, p. 103-128.
LARSEN-FREEMAN, D. Chaos/Complexity Science and Second Language Acquisition. Applied Linguistics, v.18, n.2, p.141-165, 1997.
LEFFA, V. Interação simulada: um estudo da transposição da sala de aula para o ambiente virtual. In: LEFFA, V. (org.). A interação na aprendizagem de línguas. 2 ed. Pelotas: Educat, 2006. p. 181-118.
LEFFA, V. Se o mundo muda: ensino de línguas sob a perspectiva do emergentismo. Calidoscópio, v.7, n.1, p.24-29, jan.-abr. 2009.
LEOTTI, V. B.; COSTER, R.; RIBOLDI, J. Normalidade de variáveis: métodos de verificação e comparação de alguns testes não-paramétricos por simulação. Revista HCPA. Porto Alegre. v. 32, n. 2, p. 227-234, 2012.
MORIN, E. Introdução ao Pensamento Complexo. 4 ed. Lisboa: Instituto Piaget, 2003.
OLIVEIRA, J. de. O ensino da produção oral em língua inglesa no Instituto Federal Farroupilha: uma experiência pedagógica com material didático autoral focado na instrução diferenciada. 259 p. 2017. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Línguas) – Universidade Federal do Pampa, Campus Bagé, Bagé, 2017.
ORÉ, F. Reflexiones para una evaluación constructivista. Horizonte de la Ciencia, v. 8, n. 14, p. 87-99. enero-junio 2018. Disponível em: http://revistas.uncp.edu.pe/index.php/horizontedelaciencia/article/view/294. Acesso em: 24 dez. 2020.
PAIVA, V.L.M. Aquisição de segunda língua. São Paulo: Parábola, 2014.
PARDO KUKLINSKI, H.; COBO, C. Expandir la universidad más allá de la enseñanza remota de emergencia: ideas hacia un modelo híbrido post-pandemia. Barcelona: Outliers School, 2020.

SHAPIRO, S. S.; WILK, M. B. An analysis of variance test for normality (complete samples). Biometrika, v. 52, n. 3/4, p. 591-611, 1965.

SOUZA, A. C.; ALEXANDRE, N. M. C.; GUIRARDELLO, E. de B. Propriedades psicométricas na avaliação de instrumentos: avaliação da confiabilidade e da validade. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 26, p. 649-659, 2017.

VETROMILLE-CASTRO, R. A interação social e o benefício recíproco como elementos constituintes de um sistema complexo em ambientes virtuais de aprendizagem para professores de línguas. Tese de Doutorado (Informática na Educação) 223f., Porto Alegre, RS: UFRGS, 2007. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/14754. Acesso em: 14 de jun. de 2020.
WINSTONE, N.; PITT, E.; NASH, R. Educators’ perceptions of responsibility-sharing in feedback processes. Assessment & Evaluation in Higher Education, Londres, abri., 2020, Disponível em: https://doi.org/10.1080/02602938.2020.1748569. Acesso em: 14 jun.2020.
Publicado
2021-05-18
Seção
Relatos de Experiência