O USO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA NA EAD

  • Fernando Sassano UNIVESP
  • Helio Lopes Guerra Neto UNIVESP
  • Andriéli Hilário Barizão UNIVESP
  • Rafael Ribeiro Sencio UNIVESP
  • Átila Onaya UNIVESP
  • Nathanaell Welter UNIVESP
Palavras-chave: Educação a Distância. Ferramentas Computacionais. Ensino de Matemática. UNIVESP. Excel. Matlab.

Resumo

A educação é um dos meios fundamentais de se assegurar o desenvolvimento de uma sociedade, e, embora as tecnologias venham introduzindo um novo conceito de educação, diversas preocupações concernentes ao uso de ferramentas computacionais no processo de ensino e aprendizagem vêm se intensificando. Neste contexto, este trabalho investigou como o uso dessas ferramentas tem afetado o processo de ensino e aprendizagem de matemática na educação a distância (EaD). Para tal, duas pesquisas descritivas e quantitativas foram realizadas: a primeira via Google Forms, com a participação de 847 alunos dos cursos de Engenharia de Computação e Produção da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (UNIVESP), que buscava identificar a percepção dos alunos no processo educacional mediado por ferramentas tecnológicas; e a segunda, por meio de nossos relatos de experiências pessoais enquanto facilitadores das disciplinas de Cálculo 3 e Métodos Numéricos. Os resultados indicaram que houve uma participação proporcional entre os alunos de ambos os cursos, com matrículas preponderantemente nos 2o e 3o anos letivos, dos quais 71% afirmaram ter tido algum professor ou facilitador que utilizou alguma ferramenta computacional. Os destaques ficaram para as ferramentas Microsoft Excel, Matlab e Scilab, cuja utilização foi preponderante nas disciplinas de Cálculo e Estatística, com elevadas taxas de aprovação (59%), estímulo (57%) e adequação (63%). Por sua vez, de acordo com os relatos de percepção dos facilitadores, metodologias alternativas como vídeos, animações e códigos de programação apresentaram um retorno positivo com maior associação entre teoria e prática. Assim, tendo em vista o processo de ensino e aprendizagem, este estudo sugere que o uso de ferramentas computacionais seja mais explorado no ensino de matemática na EaD.

Referências

ABRAEAD. Anuário Brasileiro Estatístico de Educação Aberta e a Distância. 2008. Anuário Brasileiro Estatístico de Educação Aberta e a Distância 2008. 4. ed. São Paulo: Instituto Monitor, 2008. Disponível em: . Acesso em: 10 jul. 2020.
ANDRADE, M. M. Introdução à metodologia do trabalho científico: elaboração de trabalhos na graduação. 10. ed. São Paulo: Atlas, 2010.
AQUINO, F. S.; OLIVEIRA, A. P. O perfil do aluno de educação a distância do curso de licenciatura em Letras espanhol do polo de Marcelino Vieira.In IX Congresso 89V.6 No2, 2016 de Iniciação Científica do IFRN(IX Congic)(pp. 2.037-2.046). Natal, RN, 2016.
FAVERO, R. V. Dialogar ou evadir: eis a questão: um estudo sobre a permanência e a evasão na educação a distância no estado do Rio Grande do Sul. 2006. Dissertação (Mestrado) –Programa de Educação a Distância, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.
GODOI, M. A. O Perfil do Aluno da Educação a Distância e seu Estilo de Aprendizagem. EaD Em Foco, 6(2). https://doi.org/10.18264/eadf.v6i2.383, 2016.
ISLER, G. L.; MACHADO, A. A. Motivação discente em cursos na modalidade de educação à distância (EaD): fatores que influenciam. Revista Nupem, 5(9), 67-84, 2013.
LIKERT, RENSIS, A Technique for the Measurement of Attitudes, Archives of Psychology, 140: 1-55, 1932.
MARTINS, R. X. et al. O perfil sociodemográfico de candidatos a cursos de licenciatura a distância e os objetivos da Universidade Aberta do Brasil. IX Congresso Brasileiro de Ensino Superior a Distância (IX Esud)(pp. 1-12). Recife, PE, 2012.
MOTEJUNAS, P. R. et al. A evasão do ensino superior brasileiro. 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/v37n132/a0737132.pdf>. Acesso em: 25 set. 2020.
PALHARES, I. Aposta do governo para EaD, Univesp tem alta evasão e só forma 174 alunos. SEMESP, São Paulo, 4 abr. 2019.Disponível em : https://www.semesp.org.br/imprensa/aposta-do-governo-para-ead-univesp-tem-alta-evasao-e-so-forma-174-alunos/. Acesso em: 25 set. 2020.
PEDROSA, Rafael Alves; NUNES, Danilo. O DESAFIO DA EVASÃO EM CURSOS SUPERIORES NA MODALIDADE EaD. Revista Paidéi@. Unimes Virtual. Volume.11 – Número 20 – JULHO- 2019. DOI: 110.29327/3860.11.20-5
SANDLIN, DESTIN. What is a Fourier Series? (Explained by drawing circles) - Smarter Every Day 205. Youtube, 10 dez. 2018. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=ds0cmAV-Yek. Acesso em: 20 out. 19.
SCHNITMAN, I. M. O perfil do aluno virtual e as teorias de estilos de aprendizagem. In IIISimpósio Hipertexto e Tecnologias na Educação (pp. 1-10). Recife, PE. 2010.
TOCZEK, J. et al. Uma visão macroscópica da evasão no ensino superior a distância. In: V ESUD -Congresso Brasileiro de Ensino Superior a Distância, 2008. Anais... Gramado: V ESUD, 2008. Disponível em: http://200.169.53.89/download/CD%20congressos/2008/V%20ESUD/trabs/t38849.pdf Acesso: 18 jul. 2020.
UNIVESP, Texto base - o Perfil de alunos da UNIVESP 2018, Material fornecido na disciplina de Mediação Pedagógica na Educação à distância, 2018.
6 fatores que aumentam a evasão na EAD e como combatê-los. Minha Biblioteca, 13 set. 2018. Disponível em:< https://minhabiblioteca.com.br/evasao-na-ead/>. Acesso em: 25 set. 2020.
Publicado
2021-05-18
Seção
Artigos Originais