ABORDAGEM, MÉTODOS E PERFIL DE TRABALHO DOCENTE PARA O ENSINO DE BIOLOGIA MOLECULAR NA EDUCAÇÃO BÁSICA: RELATOS DE PROFESSORES EM UM CURSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA ONLINE

Palavras-chave: Ensino online;, Ensino de Biologia;, interação;, colaboração;, formação de Professores

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo apresentar um olhar de docentes da educação básica, acerca das abordagens, dos métodos, das dificuldades e dos desafios para o ensino de Biologia Molecular em cursos de Educação a Distância (EaD). A pesquisa foi realizada por meio de análise qualitativa das concepções, com reflexões dos discursos produzidos em fóruns temáticos, durante os momentos de interação e colaboração de 36 cursistas/docentes, em um curso on-line de formação continuada de professores, oferecido pela Fundação CECIERJ. Constatou-se que durante os momentos de interação e colaboração promoveram-se discussões e reflexões significativas entre os docentes participantes do fórum, as quais refletiram em mudanças nas abordagens para o ensino de Biologia, assim como mudanças de atitude e mudanças conceituais. As reflexões dos docentes, promovidas ao longo dos fóruns, revelam um direcionamento positivo quanto ao uso da História da Ciência como alternativa ao ensino de Biologia, assim como o seu uso combinado às Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs). Essa análise permitiu, também, a construção de um perfil de trabalho docente em que foi possível identificar quatro perfis de trabalho, no que diz respeito ao uso de recursos tecnológicos (digitais ou analógicos) e às abordagens comunicativas (dialógica ou expositiva), utilizados em sala de aula

Biografia do Autor

Ranlig Carvalho de Medeiros, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Graduado em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro - UENF/CEDERJ. Especialista em Planejamento, Implementação e Gestão em EAD - PIGEAD pelo programa de Pós-graduação do Instituto de Matemática da UFF/LANTE. Mestre em Educação em Ciências e Matemática, pelo Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e Matemática - PPGEduCiMat/UFRRJ. Atualmente é parte do corpo de mediadores presenciais do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas e Licenciatura em Pedagogia (Cederj/UERJ) em Paracambi. É professor regente de Ciências, Biologia e Física da rede estadual de educação - SEEDUC.
Benjamin Carvalho Teixeira Pinto, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Doutor em Ciências. Professor lotado no Departamento de Teoria e Planejamento de Ensino (DTPE), Instituto de Educação da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Professor Pesquisador no Mestrado Profissional do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática. Experiência em Ensino de Ciências e Biologia, Eucação à Distância e Educação Ambiental.
Daniel Fábio Salvador, Fundação CECIERJ
Professor Associado Doutor da Fundação CECIERJ, ligada a Secretaria de Ciência e Tecnologia do estado do RJ. Docente, pesquisador e orientador do programa de pós-graduação em Ensino de Biociências e Saúde do IOC-Fiocruz. Tem experiência em pesquisa nas áreas de reprodução animal de bovinos, biotecnologias da reprodução de touros, bioquímica da reprodução, ensino de bioiências e tecnologias educacionais.

Referências

AUTOR 1.; AUTOR 2.; AUTOR 3. XXXXXXXXXXXXXXX. EaD em Foco, v. xx, exxxx. 20XX.

BIZZO, N. M. V. História da Ciência e ensino: onde terminam os paralelos possíveis? Em Aberto, v. 55, n. 11, p. 29-35. 1992.

BONZANINI, T.; BASTOS, F. A. Formação de Professores de Biologia e os Avanços Científicos Recentes: demandas da prática pedagógica. In: VI ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, Florianópolis, 2007. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais, Terceiro e Quarto Ciclos do Ensino Fundamental. Brasília: MEC, p.133-154. 1998. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/ /seb/arquivos/pdf/introducao.pdf> Acesso em: 18 set. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Guia de implementação da Base Nacional Comum Curricular: orientações para o processo de implementação da BNCC. Brasília: MEC. 2018. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/> Acesso em: 18 set. 2020.

CACHAPUZ, A.; PRAIA, J; JORGE, M. Da educação em ciências às orientações para o ensino das ciências: um repensar epistemológico. Ciência e Educação, v. 10, n. 3, p. 363-381. 2004.

CANDAU, V. M.; LELIS, I. A. A Relação Teoria-Prática na Formação do educador. In: CANDAU, V.M (Org.). Rumo a uma Nova Didática. 10ª Edição, Petrópolis, 1999. Vozes. p.56-72.

CARVALHO, A. M. P.; GIL-PÉREZ, D. Formação de Professores de Ciências: tendências e inovações. 7a. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

CARVALHO, G. S. A transposição didática e o ensino de biologia. In: CALDEIRA, A. M. A; ARAUJO, E. S. N. N. (Org.). Introdução à Didática da Biologia. São Paulo, 2009. Escrituras. p. 34-57. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2020.

CHEVALLARD, Y. La transposición didáctica: del saber sabio ao saber enseñado. Buenos Aires: Aique, 1991.

CORDINGLEY, P.; BELL, M.; EVANS, D.; FIRTH, A. The impact of collaborative CPD on classroom teaching and learning. Review: What do teacher impact data tell us about collaborative CPD? In: Research Evidence in Education Library. London: EPPI-Centre, Social Science Research Unit, Institute of Education, University of London, 2005.

CUNHA, A. M. O.; KRASILCHIK, M. A formação continuada de professores de ciências: percepções a partir de uma experiência. IN: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 23ª, 2000, Caxambú. Anais Caxambu: Anped. Disponível em: . Acesso em: 10 Set. 2020.

DEMO, P. Educação hoje: novas tecnologias, pressões e oportunidades. São Paulo, 2009. Atlas.

DINIZ, R. E. S.; CAMPOS, L. M. L.; KULH, L. W. Os novos conhecimentos no campo da Biologia e a sala de aula: proposta de formação continuada de professores. Botucatu, São Paulo, 2004.

DINIZ, R. E. S.; CAMPOS, L. M. L.; SILVA, D. F.; ESTEVES, M. C. S. Formação continuada de professores de Biologia: os avanços recentes nos campos da ciência e da tecnologia e a sala de aula. São Paulo, 2005.

FRAENKEL, J. R.; WALLEN, N. E. How to Design and Evaluate Research in Education. McGraw-Hill Higher Education, v. 7th ed., 665p, 2008.

KRASILCHIK, M.; TRIVELATO, S. F. Biologia para o século XXI. São Paulo. 26p. 1995.

KENSKI, V. M. Educação e tecnologias: o novo ritmo da informação. Campinas: Editora Papirus,141p, 2012.

LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: Editora 34. 1999.

LEMOS, A. Cibercultura: tecnologia e vida social na cultura contemporânea. 4.ed. Porto Alegre: Sulina. 2008.

MATTHEWS, M. R. História, filosofia e ensino de ciências: a tendência atual de reaproximação. Caderno Catarinense de Ensino de Física, v. 12, n. 3, p. 164-214. 1995.

MARANDINO, M.; SELLES, S. E.; FERREIRA, M. S. Ensino de Biologia: histórias e práticas em diferentes espaços educativos. Cortez Editora. 2009.

PIMENTA, S. G. Saberes pedagógicos e atividade docente. 6ª Edição. São Paulo: Cortez. 2008.

PRETO, N.; PINTO, C. C. Tecnologias e novas educações. Revista Brasileira de Educação, v. 11, n 31, p. 19 – 30, 2006.

PRIMO, A. Interação mediada por computador: comunicação, cibercultura, cognição. Porto Alegre: Sulina, 239 p. 2011.

AUTOR 1.; AUTOR 2.; AUTOR 3. XXXXXXXXXXXXXX RIEC – Revista Eletrônica de Investigación en Educación en Ciencias, año v. XX. n. X. 20XX.

SANTOS, L. L. C. P. Formação de professores e qualidade de ensino. In: Escola Básica. Campinas, Papirus, p. 137-146. 1992.

SANTOS, A. H.; SANTOS, H. M. N.; JUNIOR, B. S.; SOUZA, I. S.; FARIA, T. L. As Dificuldades Enfrentadas Para o Ensino de Ciências Naturais em Escolas Municipais do Sul de Sergipe e o Processo de Formação Continuada. XI Congresso Nacional de Educação. 2013. Anais do Congresso Nacional de Educação, Curitiba, PR, Pontifícia Universidade Católica do Paraná. 2013. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2020.

SILVA, M. Sala de Aula Interativa. 5ª edição. São Paulo: Editora Loyola, 2010.

SILVA, S. C. R.; SCHIRLO, A. C. Teoria da Aprendizagem Significativa de Ausubel: Reflexões para o Ensino de Física ante a Nova Realidade Social. Imagens da Educação, v. 4, n. 1, p. 36-42. 2014.

TEIXEIRA, P. M. M. Reflexões sobre o Ensino de Biologia realizado em nossas escolas. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS (ENPEC), v. 3, 2001, Atibaia. São Paulo, 2001. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2020.

TEODORO, N. C.; CAMPOS, L. M. L.O. Professores de Biologia e Dificuldades com os Conteúdos de Ensino. In; VI Enebio e VIII Erebio Regional 3. Revista da SBEnBio - Número 9, p. 5390-5401, 2016.

TRACTEMBERG, L. E. F. Colaboração Docente e Ensino Colaborativo na Educação Superior em Ciências, Matemática e Saúde – Contexto, Fundamentos e Revisão Sistemática. Tese de doutorado - UFRJ, Núcleo de Tecnologia Educacional para a Saúde, Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e Saúde. 2011.
Publicado
2021-03-29
Seção
Artigos Originais