FATORES RELATIVOS À PERMANÊNCIA NO CURSO DE GRADUAÇÃO À DISTÂNCIA “BACHARELADO EM DESENVOLVIMENTO RURAL - PLAGEDER” DA UAB/UFRGS

  • Fernando Fontana Dias UFRGS
Palavras-chave: Educação a distância, Permanência, Evasão, PLAGEDER

Resumo

Este artigo foi produzido com a finalidade de desenvolver o conhecimento relacionado a um dos fenômenos mais relevantes da Educação a Distância (EaD), ou seja, a permanência dos alunos, relacionando os aspectos de oferta do curso com a opinião dos alunos a respeito dos fatores de permanência e considerando a relevância do tema na atualidade.  O objetivo foi compreender o modo pelo qual os fatores organizacionais e motivacionais contribuíram para a permanência e a conclusão da terceira edição do curso a distância PLAGEDER, a partir da análise da influência de fatores relacionados à permanência no curso, identificando e compreendendo os obstáculos dos alunos para a conclusão dele.  Com isso, buscou-se responder ao seguinte problema de pesquisa: de que maneira questões pessoais, acadêmicas e contextuais refletiram na permanência e na conclusão do curso a distância de graduação em Desenvolvimento Rural – PLAGEDER –, em sua terceira edição? A pesquisa envolveu análise quantitativa e qualitativa. Na coleta de dados, foram utilizados dados primários e secundários, com base na realização de questionários tanto para os alunos do curso quanto para os atores envolvidos com a oferta do curso. O trabalho também contou com o uso da observação para a coleta de dados. Os resultados apresentaram uma diferença significativa da permanência nos diferentes polos onde foi ofertado o curso, variando de 16% a 54,76%. De um modo geral, foi possível verificar que fatores relacionados a atividades presenciais foram considerados mais importantes pelos alunos do que os fatores relacionados às atividades a distância, para a decisão de permanecerem no curso. A relação entre a limitação de tempo disponível para o estudo e a falta de autodisciplina, como obstáculos para a conclusão do curso, compõem um achado interessante apresentado nos resultados.

Referências

ALVES, Lucineia. Educação à distância: conceitos e história no Brasil e no mundo. Rio de Janeiro: UFRJ, 2011.

BIZARRIA, Fabiana Pinto de Almeida; SILVA, Maria Aparecida da; CARNEIRO, Teresa Cristina Janes. Evasão Discente na EAD: Percepções do Papel do Tutor em uma Instituição de Ensino Superior. In: ESUD – XI Congresso Brasileiro de Ensino Superior a Distância Florianópolis/SC, 2014.

BRITTO, Lidiane Campos; MINCIOTTI, Silvio Augusto; CRISPIM, Sergio Feliciano; ZANELLA, William. Motivos da Escolha da Educação a Distância: O Aluno como Consumidor. RAIMED - Revista de Administração IMED, 6(2): 206-220 jul./dez. 2016.

COSTA, Maria Luisa Furlan. História e políticas públicas para o ensino superior a distância no Brasil: o programa Universidade Aberta do Brasil em questão, 2012Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n.45, p. 281-295

DEMARCO, Diogo Joel. A formação de gestores públicos no Brasil: um balanço das contribuições do programa nacional de formação em administração pública (PNAP). Brasília: VIII Congresso CONSAD de Gestão Pública, 2015.
FIUZA, Patricia Jantsch. Adesão e Permanência na Educação a Distância: Investigação de Motivos e Análise de Preditores Sociodemográficos, Motivacionais e de Personalidade para o Desempenho na Modalidade. Porto Alegre: UFRGS, 2012.
GOULART, Deise Mazzarella. Adesão ao Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB): Implicações Organizacionais na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre: UFRGS, 2014.
LALANI, Farah; Li Cathy. The COVID-19 pandemic has changed education forever. This is how. World Economic Forum, 2020. Site: https://www.weforum.org/agenda/2020/04/coronavirus-education-global-covid19-online-digital-learning/ - Acesso em 04/08/2020.
LONGO, Carlos Roberto Juliano. A EAD na pós-graduação. In. LITTO, Fredic Michael; FORMIGA, Manuel Marcos Maciel (Orgs). Educação a distância: o estado da arte. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2009. p. 215-222.
MARQUES, Paula Fogaça. A Evasão no Ensino Superior a Distância PLAGEDER: um estudo de caso do polo UAB Balneário Pinhal. Porto Alegre: UFRGS, 2010.
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC). Universidade Aberta do Brasil (UAB). Site: http://portal.mec.gov.br/uab - Acesso em 04/05/2019.
PACHECO, Andressa Sasaki Vasques et al. Evasão e permanência dos estudantes de um curso de administração do sistema universidade aberta do brasil: uma teoria multiparadigmática. In:III encontro de ensino e pesquisa em Administração e contabilidade: João Pessoa/PB, Nov, 2011.

PLAGEDER. Porto Alegre: UFRGS. Site: http://www.ufrgs.br/cursopgdr/apresentacao.htm - Acesso em 12/09/2018.
SANTOS, Fabiano Cunha dos. UAB como política pública de democratização do ensino superior via EAD, 2011. Site: http://www.anpae.org.br/simposio2011/cdrom2011/PDFs/trabalhosCompletos/comunic
acoesRelatos/0184.pdf - Acesso em: 12/09/2018.

VIEIRA, Márcia de Freitas. A Gestão de EaD no contexto dos Polos de Apoio Presencial: Proximidades e diferenças entre a Universidade Aberta do Brasil e as Instituições universitárias privadas. Universidade Aberta. Site: https://repositorioaberto.uab.pt/bitstream/10400.2/7182/1/TD_MarciaVieira.pdf - Acesso em 04/03/2019
Publicado
2021-03-29
Seção
Artigos Originais