PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE AÇÕES EDUCACIONAIS À DISTÂNCIA PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE: REVISÃO DA LITERATURA

  • Evelyn de Britto Dutra Fiocruz
  • Ana Silvia Pavani Lemos
  • Kellen Cristina da Silva Gasque
  • Maria de Jesus Rezende
Palavras-chave: Avaliação educacional., Capacitação em serviço., Educação a distância., Educação continuada., Pessoal de saúde.

Resumo

Com a disseminação da educação a distância nas últimas décadas, houve o reconhecimento do potencial que os processos educativos teriam quando apoiados por recursos tecnológicos. Um dos elementos centrais da construção de um curso a distância é a estratégia de avaliação educacional. Assim, é ímpar investigarmos as metodologias avaliativas que estão sendo utilizadas na Educação Permanente em Saúde, como forma de qualificar ofertas futuras e possibilitar, com maior eficácia, o alcance dos objetivos e o desenvolvimento de competências propostos na formação. O presente estudo buscou identificar as estratégias de avaliação educacional adotadas em ações de qualificação profissional para trabalhadores da saúde no Brasil, realizadas na modalidade “educação a distância” em âmbito nacional.  Trata-se de uma pesquisa documental, realizada por meio de revisão de narrativa da literatura. A coleta de dados foi feita no mês de janeiro de 2020, nas bases de dados BVS e SciELO. Ao todo, dez artigos foram considerados dentro do escopo do estudo, avaliando treinamentos (cursos rápidos), especializações e disciplinas ofertados na modalidade híbrida ou totalmente a distância. O público-alvo das formações realizadas compreendeu profissionais de saúde em âmbito hospitalar, da atenção primária, da educação e da promoção da saúde.  Os autores adotaram diferentes abordagens teóricas avaliativas e níveis de aprofundamento, em que prevaleceram instrumentos mais tradicionais, como questionários fechados e que avaliaram predominantemente a satisfação e a aprendizagem dos conteúdos, sem um avanço significativo na avaliação do impacto.  Destacaram-se dois modelos, considerados de referência no campo da avaliação educacional:  Modelo Kirkpatrick e Modelo Integrado de Avaliação do Treinamento no Trabalho (Impact). A temática da avaliação dos processos de educação para profissionais da saúde é um campo que precisa ser explorado em maior profundidade, pois existe dificuldade em eleger e desenvolver propostas avaliativas mais completas e estruturadas. Dessa forma, o estudo aponta para a importância da diversidade de medidas e dimensões analisadas, uma vez que as avaliações tendem a considerar unicamente o modelo de percepção dos indivíduos.

Referências

ABBAD, Gardênia; CARVALHO, Renata Silveira; ZERBINI, Thaís. Evasão em curso via internet: explorando variáveis explicativas. RAE eletronic., São Paulo, v. 5, n. 2, Dez., 2006. Disponível em: . Acesso em 05 de junho de 2020.

ABBAD, Gardênia; GAMA, Ana Lidia Gomes; BORGES-ANDRADE, Jairo Eduardo. Treinamento: Análise do Relacionamento da Avaliação nos níveis de Reação, Aprendizagem e Impacto no Trabalho. RAC, v. 4, n. 3, Set./Dez., p. 25-45, 2000.

ARAUJO, Alexandre Porto et al. Avaliação de aprendizagem EAD UNITAU: construindo uma matriz de referencia para elaboração de instrumentos de avaliação da aprendizagem. Taubaté-SP, abril, 2016. Disponível em: . Acesso em 08 de junho de 2020.

AROLDI, Juscilynne Barros da Costa; PERES, Heloisa Helena Ciqueto and MIRA, Vera Lucia. Percepção do Impacto no Trabalho de um Treinamento On-Line sobre Prevenção de Lesão por Pressão. Texto contexto - enferm., Florianópolis, vol.27, n.3., 2018. Disponível em: . Acesso em 08 de junho de 2020.

AVELINO, Carolina Costa Valcanti et al. Avaliação do ensino-aprendizagem sobre a CIPE ® utilizando o Ambiente Virtual de Aprendizagem. Rev. Bras. Enferm., vol.70, n.3, pp.602-609, 2017. Disponível em: . Acesso em 08 de junho de 2020.

BACKES, Vânia Marli Schubert et al. Competência dos enfermeiros na atuação como educador em saúde. Rev. bras. enferm. Brasília, v. 61, n. 6, p. 858-865, Dez. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672008000600011&lng=en&nrm=iso. Acesso em 08 de junho de 2020.

BICALHO, Rute Nogueira Morais; MEDEIROS, Jennifer de Carvalho. O modelo híbrido de educação como estratégia para o processo de institucionalização da EaD. Revista Eixo, v. 7, n. 2, julho-dezembro, 2018. Disponível em: < http://revistaeixo.ifb.edu.br/index.php/RevistaEixo/article/view/615/335>. Acesso em 08 de junho de 2020.

BORGES-ANDRADE, Jairo Eduardo. Desenvolvimento de medidas em avaliação de treinamento. Estudos de Psicologia, 7 (número especial), pp. 31-43, 2002.

BORGES, Marcos C et al. Avaliação formativa e feedback como ferramenta de aprendizado na formação de profissionais da saúde. Medicina (Ribeirão Preto), vol. 47, n. 3, p. 324-31, 2014.

BRASIL. Portaria GM/MS nº 198 de 13 de fevereiro de 2004. Institui a Política Nacional de Educação Permanente em Saúde como estratégia do Sistema Único de Saúde para a formação e o desenvolvimento de trabalhadores para o setor e dá outras providências. Diário Oficial da União. 14 Fev 2004.

CALDEIRA, Ana Cristina Muscas. Avaliação da aprendizagem em meios digitais: novos contextos. PUC-SP, abril, 2004. Disponível em: . Acesso em 08 de junho de 2020.

CASTRO FILHO, José de Almeida; MOTTA, Luciana Branco da. Avaliação em EaD: estudo de caso do curso de especialização em saúde da pessoa idosa da UnASUS/UERJ. Rev. bras. geriatr. gerontol., vol.21, n.5, pp.513-522, 2018. Disponível em: < https://www.scielo.br/pdf/rbgg/v21n5/pt_1809-9823-rbgg-21-05-00513.pdf >. Acesso em 08 de junho de 2020.

CONTANDRIOPOULOS, André-Pierre et al., A avaliação na área da saúde: conceitos e métodos. In: HARTZ, Zulmira Maria de Araujo. Avaliação em saúde: dos modelos conceituais à prática na analise da implantação de programas. Rio de Janeiro: Fiocruz, pp. 29-47, 1997.

FRATUCCI, Maristela Vilas Boas et al. Ensino a distância como estratégia de educação permanente em saúde: impacto da capacitação da equipe de estratégia de saúde da família na organização dos serviços. RBAAD. v.15, pp. 61-79, 2016. Disponível em: < http://seer.abed.net.br/index.php/RBAAD/article/view/274/212>. Acesso em 08 de junho de 2020.

FREITAS, Lara Aparecida de et al. Avaliação do curso online na educação permanente sobre aleitamento materno para enfermeiros. Revista de Enfermagem da UFSM, v. 8, n. 1, p. 116-128, abr. 2018. Disponível em: < https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/25925/pdf>. Acesso em 08 de junho de 2020.

LOPES, João Carlos Gouveia Faria. Supervisão e Avaliação da Formação: metodologias para a avaliação de competências no processo formativo. 2010. 451 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidad de Salamanca, Salamanca, 2010. Disponível em: < http://repositorio.esepf.pt/handle/20.500.11796/1488>. Acesso em 08 de junho de 2020.

MARINHO-ARAUJO, Claisy Maria; RABELO, Mauro Luiz. Avaliação educacional: a abordagem por competências. Avaliação (Campinas), Sorocaba, v. 20, n. 2, p. 443-466, julho, 2015. Disponível em: . Acesso em 08 de junho de 2020.

MARTINS-MELO, Francisco Rogerlândio et al. Modalidade de educação a distância na formação profissional em saúde da família: relato de experiência. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, v. 9, n. 30, p. 89-95, nov. 2013. Disponível em: . Acesso em 08 de junho de 2020.

MONTEIRO, Ana Karine da Costa et al. Educação permanente à distância sobre a prevenção de úlcera por pressão. Rev. Enferm. UERJ, Rio de Janeiro, v. 24, n. 1, p. 1-7, 2016. Disponível em: http://www.facenf.uerj.br/v24n1/v24n1a04.pdf. Acesso em 04 fev. 2020.

NEGRINI, Sandra Maria. Gestão Democrática da Escola Pública: uma relação teórico-prática. Faculdade filosofia ciências e letras, Jacarezinho (FAFIJA), 2011.

OBRELI-NETO, Paulo Roque et al. Evaluation of the effectiveness of an Internet-based continuing education program on pharmacy-based minor ailment management: a randomized controlled clinical trial. Braz. J. Pharm. Sci., São Paulo, v. 52, n. 1, p. 15-26, Mar. 2016.

OLIVEIRA, Eloiza da Silva Gomes et al. Uma Experiência de Avaliação da Aprendizagem na Educação a Distância. O Diálogo entre Avaliação Somativa e Formativa. REICE, vol. 5, n. 2, p. 39-55, 2007.

OTRENTI, Eloá. Avaliação de processos educativos formais para profissionais da área da saúde: revisão integrativa de literatura. 2011. 113 f. Dissertação (Mestre em Ciências) – Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

PEIXOTO, Henry Maia et al. Reação de graduandos e pós-graduandos aos procedimentos instrucionais utilizados em disciplinas semipresenciais. Rev. Eletr. Enf., v. 5, n. 4, p. 897-904, out/dez 2013. Disponível em: http://www.revenf.bvs.br/pdf/ree/v15n4/06.pdf. Acesso em 04 fev. 2020.

SAVEDRA MMG. Avaliação do impacto dos programas orientados da Fundação Carlos Chagas Filho de amparo à pesquisa do estado do Rio de Janeiro. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DEL CLAD SOBRE LA REFORMA DEL ESTADO Y LA ADMINISTRACIÓN PUBLICA, 7. Lisboa (PT), 8-11 outubro, 2002. Lisboa: CLAD; 2002.

SILVA, Rogério Renato; BRANDÃO, Daniel. Os quatro elementos da avaliação. São Paulo: Instituto Fonte; 2003. Disponível em: < http://antigo.enap.gov.br/downloads/ec43ea4fOs_quatro_elementos_da_avaliacao.pdf>. Acesso em 08 de junho de 2020.

WANDERLEI, Poliana Nunes; MONTAGNA, Erik. Formulação, desenvolvimento e avaliação de um curso a distância para acreditação em segurança do paciente. Einstein (São Paulo). vol.16, n.2, 2018. Disponível em: . Acesso em: 04 fev. 2020.

ZERBINI, Thais. ABBAD, Gardenia. Impacto de treinamento no trabalho via internet. RAE eletronic., v. 4, n. 2, jul-dez, 2005. Disponível em: < https://www.scielo.br/pdf/raeel/v4n2/v4n2a01.pdf>. Acesso em 08 de junho de 2020.

ZERBINI, Thais. ABBAD, Gardenia. Qualificação profissional a distância: avaliação da transferência de treinamento. Padeia. v. 20, n. 47, pp. 313-323, Set-dez, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-863X2010000300004&lng=en&nrm=iso. Acesso em 08 de junho de 2020.

ZERBINI, Thais. Avaliação da transferência e treinamento em curso a distância. 2007. 321 f. Tese (Doutorado em psicologia) – Universidade de Brasília. Brasília: Instituto de Psicologia/UnB; 2007.
Publicado
2021-03-30
Seção
Revisão da Literatura