Didática do Continuum

Palavras-chave: : Didática. Educação. Cultura digital. TDIC

Resumo

Com os avanços tecnológicos da área da Comunicação e Informação, o saber ganha mobilidade e acesso contínuo. O diálogo entre professor e aluno passa a ter outra dimensão, que extrapola o tempo e o espaço de sala de aula. Nesse contexto, a didática, por ser o instrumento de comunicação e diálogo, que transmite o saber, recebe influência dos meios de comunicação e informação, especialmente no que diz respeito às Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC). Por ser técnica e mediação, a didática vem sendo pressionada a uma nova composição que possa favorecer a interação entre o saber, o aluno e o professor, que vivem hoje no mundo digital. Para entender e apontar caminhos para uma nova didática, surge a necessidade de examinar a atividade de mediação do professor. Assim consta como sustentação teórica deste artigo a Teoria da Atividade, também os estudos de Comenius, Peters, Daniels, Vygostsky e o “The onlife Manifesto” de Floridi, que colaboram para responder aos anseios desta pesquisa. A metodologia utilizada foi a bibliográfica, a partir de livros, artigos e material disponibilizado na internet, de fonte confiável. Também, se utilizou da entrevista de averiguação como instrumento. Foram ouvidos professores de diversos níveis, a fim de levantar as possibilidades do uso das ferramentas didáticas apontadas por esta pesquisa teórica para o uso das TDIC em sala de aula. Apesar de uma pequena amostragem de professores ter sido ouvida, chega-se a concluir que os resultados obtidos e oferecidos pelo estudo teórico, didática do continuum, podem trazer à didática ferramentas inovadoras requeridas para o diálogo entre professor, aluno e saber na era hiperconectada, havendo necessidade de que a pesquisa seja colocada em prática com um maior número de professores

Biografia do Autor

Gisele Cristina Boucherville, UFRR
Professora adjunta da Universidade Federal de Roraima (UFRR). É doutora em Educação pela PUC- Minas, na área de Educação, Didática e tecnologias digitais, mestre em Educação, formada pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2007), graduada em Normal Superior pela Universidade Presidente Antônio Carlos (2005). É professora do terceiro grau efetiva da Universidade Federal de Roraima-UFRR, trabalha na área de educação e tecnologias desde 2009. Foi, por 4 anos, coordenadora do curso de extensão ead  EJA- SECADI. Foi Adjunta do Núcleo de Educação a Distancia-NEaD/UFRR, Coordenadora Acadêmica e Coordenadora de Projetos para cursos a distancia e professora da Especialização em Educação a Distancia da UFRR .  Em 2011 organizou e coordenou o WTEaD, Workshop de Tecnologia para Educação a Distancia, sendo o 1º worksohp da UFRR nesse tema. Trabalhou como organizadora no ESUD - 2016. Interessa-se pelo tema da didática e as correlações deste tema com ensino/aprendizagem em todos os âmbitos da educação, seja ela presencial ou a distancia e as tecnologias digitais. Desenvolveu em 2017, 2018 e 2019 projeto de cooperação técnica na UFJF com o tema PESQUISA INTERISTITUCIONAL DE DIDÁTICA, em que propõe compor um material didático novo, cujas tecnologias digitais devam incluir a sala de aula. Hoje, se encontra no Instituto Insikiran, no departamento de Gestão Territorial Indígena da Universidade Federal de Roraima.
S.P. P. Marinho, Pontífice Universidade Católica de Minas Gerais
Graduado em Ciências/História Natural pela Universidade Federal de Minas Gerais (1970), Especialista em Morfologia (1978) e Mestre em Morfologia (1987) pela Universidade Federal de Minas Gerais, Doutor em Educação: Currículo, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1998). Professor titular da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, vinculado ao Programa de Pós-graduação em Educação, por cuja coordenação responde atualmente [mandato 2020-2023] após recondução. Membro do Conselho de Educação e Treinamento da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG). Na PUC Minas tem responsabilidade por disciplinas oferecidas na modalidade a distância para estudantes de licenciaturas do Instituto de Ciências Humanas e no Instituto de Psicologia e presenciais, nos cursos de Ciências Biológicas (licenciatura) e Pedagogia. Membro do Conselho Diretor do Instituto de Ciências Humanas. Membro da Câmara do Departamento de Educação da PUC Minas. Membro do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da PUC Minas (2016-2020) e presidente da Câmara de Pós-graduação (2016-2019). Líder do grupo de pesquisa "Tecnologias Digitais em Educação", do Diretório de Grupos do CNPq. Membro de comitês científicos de revistas nacionais e internacionais. É membro da Red Iberoamericana de Docentes. Tem experiência na área de educação, com ênfase no uso educacional das tecnologias digitais de informação em comunicação, formação docente e inovação educacional. Atua como pesquisador e professor nos temas relacionados ao uso de tecnologias digitais da informação e comunicação (no ensino presencial e na educação a distância) e formação docente. Atua como consultor ad-hoc de periódicos especializados em educação, nacionais e internacionais, e agências de fomento (CNPq, CAPES, FAPEMIG). Integra o grupo AAA-Stepup2ICT (Stepping Up to Technology in Adult Education towards Awareness, Assessment and Access) no projeto ERASMUS+ 2017-2019. Foi assessor pedagógico do Grupo de Trabalho de Assessoramento ao Projeto Um Computador por Aluno - UCA, da Presidência da República e do MEC/SEED e coordenador do grupo de formação e pesquisa da PUC Minas que atuou no Projeto UCA Minas Gerais e no UCA Total de Tiradentes. Integrou o Comitê Científico-pedagógico do Programa Nacional de Tecnologia Educacional (PROINFO) do Ministério da Educação (MEC). Foi coordenador do Curso de Ciências Biológicas, chefe do Departamento de Ciências Biológicas e Diretor de Relações Internacionais na PUC Minas No MEC, foi ainda consultor da SESu e da SEED. Foi membro do Conselho Estadual de Educação de Minas Gerais (2017-2020), tendo presidido a sua Câmara de Ensino Superior (2017-2020).

Referências

AUSUBEL, D. P. A aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Moraes, 1982.

DANIELS, Harry. Vygotsky e a Pedagogia. Tradução: Milton Camargo Mota. Revisão: Carlos Alberto Bárbaro. Editora: Edições Loyola, 2003.

BROUSSEAU, G. “Fondements et méthodes de la didactique des mathématiques”. Recherches em Didactique des Mathématiques, vol. 7, nº 2, Grenoble, 1986.

BROUSSEAU, G. "La théorie des situations didactiques”. Recueil de textes de Didactique des mathématiques 1970-1990" présentés par M. Cooper et N. Balacheff, Rosamund Sutherland et Virginia Waefield. La pensée sauvage, Grenoble, 1998.

CANEVACCI, Massimo. A dimensão do espaço-tempo na cultura digital. 2015. http://www.iea.usp.br/noticias/ica-massimo-canevacci. Acesso em 30/04/18

CHEVALLARD, Y. La transposición didáctica. Del saber sábio al saber enseñado. Tradução de Claudia Gilman. Aique Grupo Editor S. A. Buenos Aires, 1991.

COMENIUS, Y.A. Didática Magna. Fonte digital.: Foundação Calouste Gulbenkian. Tradução de Joaquim Ferreira Gomes. (2001) http://www.ebooksbrasil.org/adobeebook/didaticamagna.pdf. Acesso em 05/04/2015.

ENGESTRÖM, Y. Activity theory and individual and social transformation. In:
ENGSTRÖM, Y. MIETTINEN, R. PUNAMÄKI, R.-L (eds.). Perspectives on Activity Theory.Cambridge, Cambridge Press, 1999.

FLORIDI, L. The Onlife Manifesto. In: Floridi L. (eds) The Onlife Manifesto. Springer, Cham. The Onlife Initiative, 2015.

MACLUHAN, Marshall. Os meios de comunicação com extensões do homem.Tradução de Décio Pignatar. São Paulo: Cultrix, 1964.

MARINHO, at al. 3º Congresso Brasileiro de Informática na Educação (CBIE 2014). Workshops (WCBIE 2014), 2014.

MARINHO at al. Oportunidades e possibilidades para a inserção de interfaces da web 2.0 no currículo da escola em tempos de convergências de mídia.Revista E-Curriculum, São Paulo, v. 4, n. 2, jun 2009.

MARINHO, S. P. P.; LOBATO, W. Tecnologias digitais na educação: desafios para a pesquisa na pós-graduação em educação. Belo Horizonte: Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Programa de Pós-graduação em Educação. Relatório técnico de pesquisa, 2004.

MORAES, Maria Cândida. O paradigma educacional emergente. Campinas, SP.Papirus: 2010

MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. 3. ed. Porto Alegre: Sulina, 2007.

PETERS, Otto. Didática do Ensino a Distância. Tradução: Ilson Kayser. São Leopoldo. Ed.: UNISINOS. 2006.

ROBERTSON, R. (1992). Globalization. Social Theory and Global Culture (trad. it.: Globalizzazione. Teoria sociale e cultura globale. Trieste: Asterios, 1999).

ROBERTSON, Roland. Glocalización: tiempo-espacio y homogeneidad-heterogeneidad. Zona Abierta 92-93 (2000).

VYGOTSKY, L. S. Aprendizagem e desenvolvimento intelectual na idade escolar. In.: ______; LURIA, A.R.; LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 5 ed. São Paulo: Ed. Ícone, 1988.

VYGOTSKY, Lev S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes. 1984.
Publicado
2020-11-19
Seção
Artigos Originais