Educação a Distância em Políticas Nacionais de Formação

  • Daniela Karine Ramos Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: Educação a Distância. Democratização. Conselhos Escolares. Aprendizagem.

Resumo

A flexibilização do espaço e tempo de aprendizagem característico da Educação a Distância (EaD) ampliam as possibilidades de acesso à educação, revelando também seu caráter de democratização. Essa perspectiva atende a políticas nacionais de formação, pois remete ampliação do acesso e a necessidade de processos avaliativos pautados em indicadores de qualidade. Diante disso, este estudo tem o objetivo de levantar as percepções dos egressos de um curso de formação a distância, vinculado ao Programa Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares, sobre as suas contribuições e os desdobramentos relacionados à atuação profissional. A pesquisa teve abordagem mista e pautou-se na aplicação de um questionário em uma amostra constituída por conveniência de 1113 participantes. Os resultados revelaram que a principal contribuição referiu-se a aquisição de conhecimentos sobre os conselhos escolares, o que pautou o desenvolvimento de habilidade e atitudes que permitiram atuar principalmente em ações para o fortalecimento dos conselhos escolares. Ressalta-se que a modalidade a distância permitiu que a ação de formação, vinculada um programa de governo e a uma política educacional, pudesse ser efetivada em diferentes regiões do país, envolvendo várias instituições. Assim, reforça-se o potencial democratizador da EaD e evidencia-se que esses processos de formação resultam em mudanças na atuação profissional de seus egressos.

Referências

BACKES, Vânia Marli Schubert.et al. A educação continuada dos alunos egressos: compromisso da universidade? Rev. bras. enferm., Brasília, v. 55, n. 2, p. 200-204, 2002.
BAHIA, Norinês Panicacci. Curso de Pedagogia presencial e a distância: uma análise sobre a formação e a atuação de egressos. Acta Scientiarum. Education, Universidade Estadual de Maringá s.l., n.3, v. 37, p.301-312, 1 jul. 2015. Disponível em: . Acesso em: Out. 2017.
BARDIN, Laurente. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.
BELLONI, Maria Luiza. Ensaio sobre a educação a distância no Brasil. Educ. Soc., Campinas, v. 23, n. 78, p. 117-142, 2002.
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Programa Nacional de Fortalecimento dos Conselhos Escolares. Conselhos Escolares: democratização da escola e construção da cidadania. Caderno 1. Brasília: MEC, SEB, 2004.
BUFORD, James. An introduction to designing and delivering courses and programs at a distance. In: DOOLEY, Kim E., LINDNER, James R., DOOLEY, Larry M. Advanced methods in distance education: applications and practices for educators, administrators, and learners. London: IGI Global, 2005.
CHOI, Hee Jun; PARK, Ji-Hye. Testing a path-analytic model of adult dropout in online degree programs. Computers & Education, v. 116, p. 130-138, 2018.
CISLAGHI, Renato et al. Gestão de qualidade de cursos a partir da percepção de estudantes egressos. Revista Renote: Novas Tecnologias na Educação, UFRGS, v. 13, n. 1, p.1-10, jul. 2015.
COLARES, Maria Lilia Imbiriba Sousa; BRYAN, Newton Antonio Paciulli. Formação continuada e gestão democrática: desafios para gestores do interior da Amazônia. ETD - Educação Temática Digital, v. 16, n. 1, p. 174-191, 2014.
DAZZANI, Maria Virgínia Machado, LORDELO, José Albertino Carvalho. A importância dos estudos com egressos na avaliação de programas. In. LORDELO, José Albertino Carvalho; DAZZANI, Maria Virgínia Machado. (Orgs). Estudos com estudantes egressos: concepções e possibilidades metodológicas na avaliação de programas. Salvador: EDUFBA, 2012.
DIAS, Maria Lucia. Potenciais da formação continuada a distância para aquisição de (novas) competências profissionais. In: Congresso Internacional de Educação a Distância, 18., 2012, São Luiz. ANAIS. Canoas (RS): Abed, 2012. p. 1 - 10.
FERRUGINI, Lílian; CASTRO, Cleber Carvalho de. Repercussões socioeconômicas do curso piloto de administração da UAB na visão de egressos e coordenadores. Educ. Pesqui., v. 41, n. 4, p.993-1008, 2015.
GATTI, Bernadete A. Critérios de qualidade. In. ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de; MORAN, José Manuel (Orgs.). Integração das Tecnologias na Educação. Secretaria de Educação a Distância. Brasília: Ministério da Educação, SEED, 2005.
HOLMGREN, Robert. Preparations for Practical Exercises in Vocational Education: Can ICT-based Distance Instruction be an Alternative to Face-to-face Instruction? An Empirical Contribution. Procedia - Social And BehavioralSciences, [s.l.], v. 46, p.1152-1161, 2012.
ILGAZ, Hale; AŞKAR, Petek. The contribution of technology acceptance and community feeling to learner satisfaction in distance education. Procedia-Social and Behavioral Sciences, v. 106, p. 2671-2680, 2013.
KUO, Yu-chun et al. Interaction, Internet self-efficacy, and self-regulated learning as predictors of student satisfaction in online education courses. The Internet And Higher Education, [s.l.], v. 20, p.35-50, jan. 2014.
LUIZ, Maria Cecília; et al. Plano de Ação dos cursistas para o fortalecimento do conselho escolar. In: LUIZ, Maria Cecília (Org.) Conselho escolar: Algumas Concepções e Propostas de Ação, São Paulo: Xamã, 2010.
MEIRA, Maria Dyrce Dias; KURCGANT, Paulina. Avaliação de curso de graduação segundo egressos. Revista da Escola de Enfermagem da USP. v. 43, n. 2, p.481-485, 2009.
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Portaria 2.896 de 16 de setembro de 2004.Disponívelem: . Acesso em: 07 jul. 2017.
MOORE, Michael G., KEARSLEY, Greg. Educação a distancia: uma visão integrada. Trad.: Roberto Galman. São Paulo: Cengage Learning, 2008.
NASCIMENTO, Thiago Cavalcante; RAMOS, Anatália Saraiva Martins; OLIVEIRA JÚNIOR, Paulo César Medeiros de. Prontidão tecnológica e satisfação de alunos na modalidade a distância: o caso de um programa de capacitação de um governo estadual. Rege, São Paulo, v. 18, n. 3, p.489-509, 2011.
PALLOFF, Rena M., PRATT Keith. O aluno virtual. Um guia para trabalhar com estudantes on-line. Trad.: Vinícius Fiqueira. Porto Alegre: Artmed, 2004.
PAULA, Marlubia Corrêa de; VIALI, Lori; GUIMARÃES, Gleny Terezinha Duro. A pesquisa qualitativa e o uso de CAQDAS na análise textual: levantamento de uma década. Internet Latent Corpus Journal, v. 6, n. 2, p.65-78, 2016.
POZDNYAKOVA, Oksana; POZDNYAKOV, Anatoly. Adult Students’ Problems in the Distance Learning. Procedia Engineering, v. 178, p. 243-248, 2017.
SOUZA, Geisa Colebrusco de et al. Avaliação do curso de gerenciamento online na perspectiva dos egressos. Revista da Escola de Enfermagem da USP., v. 49, n., p.90-97, 2015.
STARK, Christina M. et al. Online Course Increases Nutrition Professionals' Knowledge, Skills, and Self-Efficacy in Usingan Ecological Approach to Prevent Child hood Obesity. Journal Of Nutrition Education And Behavior, [s.l.], v. 43, n. 5, p.316-322, 2011.
WILSON, Susan. Adult learning principles and learner diferences. In: DOOLEY, Kim E., LINDNER, James R., DOOLEY, Larry M. Advanced methods in distance education: applications and practices for educators, administrators, and learners. London: IGI Global, 2005.
Publicado
2020-08-24
Seção
Artigos Originais