O Virtual que marca Presença

  • Romero Tori

Resumo

A partir de experiências do autor em implantação e uso de tecnologias interativas no ensino superior, este artigodiscute questões relacionadas à incorporação de recursos virtuais na educação presencial. Após apresentaçãodas principais classes de ferramentas e recursos tecnológicos para Educação Virtual Interativa (EVI), sãoidentificados cinco níveis de utilização de tecnologia virtual na educação, abrangendo um espectro que vai doparadigma totalmente presencial (nível zero) ao totalmente a distância (nível 4), e que passa pela ideal integraçãode virtual e presencial (nível 2). São então discutidas possíveis estratégias de implantação, bem como problemase soluções, para uma instituição que se encontre no nível zero e pretenda atingir, gradativamente, os demaisníveis de virtualização da educação.

Referências

Brasil. Ministério da Educação. Portaria nº 2.253, de 18 de outubro de 2001. Trata da oferta de disciplinas que, em seu todo ou em parte, utilizem método não presencial, na organização pedagógica e curricular de seus cursos superiores reconhecidos. Diário Oficial da União, Brasília, 19 de outubro de 2001, Seção 1, p.18.

Ferreira, A .P.L. ; Tori, R.; Battaiola, A .L.; Elias, N.C. Game technology as an educational tool. In: INFORMATICS CURRICULA, TEACHING METHODS AND BEST PRACTICE IFIP WORKING GROUP 3.2 INFORMATICS AND ICT IN HIGHER EDUCATION, 2002. Proceedings. p. 165-172.

Gibbons, A. S.; Nelson; J. The Nature and Origin of Instructional Objects. Utah State University, 2000. In: Wiley, D.A. (Ed.) The Instructional Use of Learning Objects: Online Version. Disponível em: http://reusability.org / read /chapters/ gibbons.doc Acesso em 20 de Fevereiro de 2003.

IEEE IEEE Standard for Learning Object Metadata (IEEE Std 1484.12.1TM - 2002). New York, IEEE, 2002.

Kubo, M. M.; Tori, R.; Kirner, C. Interaction in Educational Collaborative Virtual Environments. CyberPsychology & Behavior, v.5, n.5, p. 399-408, October 2002.

Moore, Michael G. Teoria da Distância Transacional. Publicado em Keegan, D. (1993) Theoretical Principles of Distance Education. London: Routledge, p. 22-38. Traduzido por Wilson Azevedo, com autorização do autor. Revisão de tradução: José Manuel da Silva. Rio de Janeiro, setembro de 2002. Disponível em

Moran, J. M. (2002). Pedagogia integradora do presencial-virtual. Rio de Janeiro, setembro de 2002. Disponível em http://www.abed.org.br/congresso2002/index.html .

TORI, R. A distância que aproxima. Revista de Educação à Distância, v.1, n.2, p. 1-7, 2002. Disponível em http://www.abed.org.br/ .

Wiley, D. A. Connecting learning objects to instructional design theory: A definition, a metaphor, and a taxonomy. Logan: Utah State University. Digital Learning Environments Research Group. [2001]. Disponível em http://reusability.org/read/chapters/wiley.doc Acesso em: 20 de Fevereiro de 2003.
Publicado
2019-11-04
Edição
Seção
Artigos