CEMTRAL: Uma Nova Metodologia Híbrida de Ensino e Aprendizagem

  • Carlos Alberto Moreira dos Santos Universidade de São Paulo - USP Escola de Engenharia de Lorena - EEL
  • Marco Antonio Carvalho Pereira Universidade de São Paulo Escola de Engenharia de Lorena
  • Maria Auxliadora Motta Barreto Universidade de São Paulo Escola de Engenharia de Lorena
  • Mariana Aranha de Souza Universidade de Taubaté EaD e Mestrado em Educação
  • Paola Oliveira Cicarelli Cuboz
Palavras-chave: CEMTRAL, Metodologia híbrida, Cuboz

Resumo

Este trabalho reporta uma nova metodologia que articula naturalmente ensino e aprendizagem tradicional ao uso de metodologias ativas e educação a distância por meio de uma rede social. São abordadas as dificuldades de se usar novas metodologias de ensino e aprendizagem em sala de aula, procurando utilizar uma nova proposta como forma de solução para essas dificuldades. Os resultados do desempenho dos alunos, com base no tempo destinado ao material didático postado na rede social Cuboz e nas avaliações escritas individuais, sugerem que estes tiveram desempenho similar ao das turmas anteriores. As percepções dos alunos no início, meio e fim da disciplina, associadas às análises dos resultados das avaliações de desempenho, sugerem que a nova metodologia melhora as questões de motivação e dedicação dos alunos, pois permite que eles realizem suas atividades no momento que entendem de forma mais conveniente e por meio de seus dispositivos eletrônicos de comunicação individuais. A nova metodologia permite liberar parte do tempo de sala de aula, que pode ser usado para a realização de atividades avançadas, como palestras, realização de projetos colaborativos e articulação com disciplinas experimentais ou projetos integradores.Palavras-chave: CEMTRAL. Metodologia híbrida. Cuboz.CEMTRAL: A New Hybrid Teaching and Learning MethodologyAbstratThis work reports a new methodology that naturally articulates the traditional teaching and learning to the use of active methodologies and distance education through a social network. The difficulties of using new teaching and learning methodologies in the classroom are addressed, trying to use a new proposal as a way of solving the difficulties pointed out. The results of the students performances, based on the time dedicated to the teaching material published in the Cuboz social network and the individual written evaluations, suggest that their performance was similar to the previous classes. The students' perceptions at the beginning, middle and end of the course associated with the analyses of the results of the performance evaluations suggest that the new methodology improves students' motivation and dedication issues as it allows them to carry out their activities at the moment they feel most convenient and through their individual electronic communication devices. The new methodology allows releasing part of the classroom time, which can be used for the accomplishment of advanced activities like advanced lectures, performing collaborative projects and articulation with experimental subjects or of integrative projects. Keywords: Central. Hybrid methodology. Cuboz.CEMTRAL: Una Nueva Metodología Híbrida de la Enseñanza y el Aprendizaje ResumenEste trabajo reporta una nueva metodología que articula naturalmente la enseñanza y el aprendizaje tradicional al uso de metodologías activas y educación a distancia a través de una red social. Se abordan las dificultades de utilizar nuevas metodologías de enseñanza y aprendizaje en el aula, buscando utilizar una nueva propuesta como forma de solución a las dificultades señaladas. Los resultados de los rendimientos  de los alumnos, basados en el tiempo destinado al material didáctico publicado en la red social Cuboz y en las evaluaciones escritas individuales, sugieren que tuvieron desempeño similar al de las clases anteriores. Las percepciones de los alumnos al inicio, medio y final de la disciplina asociada al análisis de los resultados de las evaluaciones de desempeño, sugieren que la nueva metodología mejora las cuestiones de motivación y dedicación de los alumnos, pues permite que ellos realicen sus actividades en el momento que entienden más conveniente y por medio de sus dispositivos electrónicos de comunicación individuales. La nueva metodología permite liberar parte del tiempo de aula, que puede ser utilizado para la realización de actividades avanzadas como conferencias, realización de proyectos colaborativos y articulación con disciplinas experimentales o de proyectos integradores.Palabras clave: Cemtral. Metodología híbrida. Cuboz.

Biografia do Autor

Carlos Alberto Moreira dos Santos, Universidade de São Paulo - USP Escola de Engenharia de Lorena - EEL
Programa de Pós-graduação em Projetos Educacionais de Ciências Programa de Pós-graduação em Engenharia de Materiais Departamento de Engenharia de Materiais

Referências

ADAMS, W. K. et al. A Study of Educational Simulations Part I - Engagement and Learning. Journal of Interactive Learning Research, Vol. 19(3), 397-419, 2008.

AUSUBEL, D. P. Algunos aspectos psicológicos de la estrutuctura del conocimiento. Buenos Aires: El Ateneo, 1973.

BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. de M. (Orgs.) Ensino Híbrido: Personalização e Tecnologia na Educação. Porto Alegre: Penso, 2015. 270p.

BATISTA, S. C. F.; BARCELOS, G. T. Análise do uso do celular no contexto educacional, Novas Tecnologias na Educação, CINTED-UFRGS. Vol. 11, Nº 1, 2013.

BERGMANN, J.; SAMS, A. Flip your classroom: reach every student in every class every day. USA: ISTE, 2012.

CICARELLI, P. O.; DOS SANTOS, C. A. M. A Social Network as an Active Learning Environment; In: Proceedings of the 9th International Symposium on Project Approaches in Engineering Education (PAEE) and 15th Active Learning in Engineering Education Workshop (ALE), Brasília, Brazil, 2018.

Cuboz. Disponível em: www.cuboz.com. Acesso em 19 mai 2018.

DALMORO, M.; VIEIRA, K. M. Dilemas na construção de escalas Tipo Likert: o número de itens e a disposição influenciam nos resultados? Revista Gestão Organizacional, v. 6, n. 3, p. 161-174, 2013.

DA SILVA, I. P.; ROCHA, F. B. Implicações do uso do WhatsApp na educação. Revista EDaPECI, São Cristóvão (SE) v.17, n. 2, p. 161-174, 2017.

DE LIMA, B. S.; DOS SANTOS, C. A. M. Peer-instruction Usando Ferramentas On-line. Rev. Grad. USP, 1(1), 83-90, 2016.

DE SOUZA, R. M. Protagonismo juvenil: o discurso da juventude sem voz. Rev. Bras. Adolescência e Conflitualidade, Vol. 1(1), 1-28, 2009.

DIESEL, A.; BALDEZ, A. L. S.; MARTINS, N. S. Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Ciências Humanas, Vol. 14 (1), 268-288, 2017.

DOS SANTOS, C. A. M.; PEREIRA, M. A. C. Project-Based Learning applied in a course of a graduation program in Educational Projects. In: Proceedings of the 9th International Symposium on Project Approaches in Engineering Education (PAEE) and 15th Active Learning in Engineering Education Workshop (ALE), Brasília, Brazil, 2018.

DUKE, B.; HARPER, G.; JOHNSTON, M. Connectivism as a Digital Age Learning Theory. The International HETL Review, Special Issue, 2013.

FAZENDA, I. Em: O que é interdisciplinaridade? Ed. Cortez, 2008.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 7th. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1998.

Jupiter. Disponível em: https://uspdigital.usp.br/jupiterweb. Acesso em 19 mai 2018.

MORAN, J. M. Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção Mídias Contemporâneas. Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens. Vol. II. Carlos A. Souza e Ofelia E. T. Morales (Orgs.), 2015.

KHAN. Disponível em: www.khanacademy.org. Acesso em 19 mai 2018.

LAAL, M.; LAAL, M. Collaborative learning: what is it? Procedia - Social and Behavioral Sciences vol. 31, p. 491-495, 2012.

PEDREIRA, S. V.; DANIEL, G. P.; DOS SANTOS, J. B. Celulares e Smartphones em sala de aula: vamos pesquisar seu uso na área de Ensino de Ciências? In: XI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências-ENPEC, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 3 a 6 de julho de 2017.

PEREIRA, M. A. C.; BARRETO, M. A. M.; PAZETI, M. Application of Project-Based Learning in the first year of an Industrial Engineer Program: lessons learned and challenges. Production (ABEPRO), v. 27, 1-13, 2017.

PORTO, C.; SANTOS, E. (orgs). Facebook e educação: publicar, curtir, compartilhar [online]. Campina Grande: EDUEPB, 2014.

PORTO, C.; OLIVEIRA, K. E.; CHAGAS, A. (Orgs). Whatsapp e educação: entre mensagens, imagens e sons. Salvador-BA, EDUFBA, 2017.

REEVE J. Why Teachers Adopt a Controlling Motivating Style Toward Students and How They Can Become More Autonomy Supportive. Educational Psychologist, 44(3), 159–175, 2009.

SIM, A. A. Experimento de Física controlado remotamente: uma avaliação sobre processo de ensino e de aprendizagem. 2016. 139 f. Dissertação (Mestrado em Educação para a Ciência). Faculdade de Ciências, UNESP, Bauru, 2016.

SOARES, L. C. S. Dispositivos móveis na educação: Desafios ao uso do smartphone como ferramenta pedagógica. In: 11º Encontro Internacional de Formação de Professores e 12º Fórum Permanente de Inovação Educacional. 2016.

VALENTE, J. A. Blended learning e as mudanças no ensino superior: a proposta da sala de aula invertida. Educar em Revista, Curitiba-PR, Edição Especial n. 4, p. 79-97, 2014.

VYGOTSKY, L. S. (1978). Mind in society: The development of higher psychological processes. Cambridge, MA: Harvard University Press.

WILLIS, J. Instructional Technologies in Schools: Are We There Yet? Computers in Schools, Vol. 20, 11, 2003.

Publicado
2018-09-05
Seção
Relatos de Experiência