O fluxo de conhecimento na produção de ambientes virtuais de aprendizagem

  • Dafne Fonseca Alarcon Universidade do Estado de Santa Catarina.
  • Fernando José Spanho Universidade do Estado de Santa Catarina.
Palavras-chave: Virtual Learning Environments, Distance Education and Knowledge Sharing

Resumo

O artigo tem como objetivo identificar e discutir os resultados do fluxo de conhecimento na produção de Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVAs) aplicados a Educação a Distância (EaD). Este mapeamento foi realizado, a partir da revisão da literatura, orientada aos serviços e processos na EaD com foco no trabalho das equipes multidisciplinares envolvidas em projetos e programas desta modalidade educacional. Assim, a proposta deste artigo é auxiliar as equipes envolvidas na gestão e compartilhamento de conhecimentos, a fim de almejar e alcançar a consequente melhoria da qualidade e organização em processos e serviços que envolvem a EaD.

Referências

BARBOSA, Ellen F.; MALDONADO, José C.; MAIDANTCHIK, Carmen LL. Padronização de processos para o desenvolvimento de módulos educacionais. In: XXIX LatinAmerican Conference on Informatics. 2003.

BARLOW, M. Avaliação escolar: mitos e realidades. Porto Alegre: Ed. Artmed, 2006.

BEJARANO, V. C., PILATTI, L. A., DE CARVALHO, H. G., & DE OLIVEIRA, A. C. Equipes e comunidades de prática como estruturas complementares na gestão do conhecimento organizacional. Journal of Technology Management & Innovation, v. 1, n. 3, p. 100-106, 2006.

BROD, F. A. RODRIGUES, S. C. Ambiente virtual como estratégia de aprendizagem no ensino profissionalizante agrícola. CC&T – Cadernos de Ciência e Tecnologia. Vol. 26, n.1/3 - jan./mar. 2009.

BRUSILOVSKY, Peter; SCHWARZ, Elmar; WEBER, Gerhard. A tool for developing adaptive electronic textbooks on WWW. In: WebNet. p. 64-69. 1996.

CASTRONOVA, E. Synthetic Worlds – The business and culture of online games. The University of Chicago Press. 2005.

CHIKH, Azeddine; BERKANI, Lamia. Communities of practice of e-learning, an innovative learning space for e-learning actors. Procedia Social and Behavioral Sciences, v. 2, n. 2, p. 5022-5027, 2010.

FERGUSON, Rebecca; BUCKINGHAM SHUM, Simon. Towards a social learning space for open educational resources. 2012.

FONG, Patrick SW. Co-creation of knowledge by multidisciplinary project teams. Management of knowledge in Project environments, p. 41-56, 2005.

FRANKLIN, T., & VAN HARMELEN, M. Web 2.0 for content for Learning and Teaching in Higher Education. Bristol: JISC. Retrieved November 9, 2007.

GUSTAFSON, Kent L.; BRANCH, Robert Maribe. Survey of instructional development models. Information Resources Publications, Syracuse University, 4-194 Center for Science and Technology, Syracuse, NY 13244-4100. 1997.

HAGUENAUER, Cristina Jasbinschek et al. Ambientes virtuais de aprendizagem: definições e singularidades. Revista Educaonline, v.3, n.2, 2011.

IPE, Minu. Knowledge sharing in organizations: a conceptual framework. Human Resource Development Review, v. 2, n. 4, p. 337-359, 2003.

KOHLER, Thomas, et al. Co-creation in virtual worlds: the design of the user experience. MIS Quarterly, 35.3: 773-788. 2011.

MATSUMOTO, Carlos E. et al. A caminho de um ambiente adaptativo de aprendizagem baseado no nível de aquisição de conhecimentos do estudante. Revista de Informática Aplicada, v. 3, n. 2, 2010.

MAYFIELD, M. Creating training and development programs: using the ADDIE method, development and learning in organizations, Vol. 25 Iss: 3 pp. 19 – 22. 2011.

MCDERMOTT, R. Learning accross teams:the role of communities of practice in team organizations. Knowledge Management Review, Chicago, May-Jun. 1999.

MOLENDA, Michael. In search of the elusive ADDIE model. Performance improvement, v. 42, n. 5, p. 34-37, 2003.

OBREGON, Rosane de Fátima Antunes. O padrão arquétipo da alteridade e o compartilhamento de conhecimento em ambiente virtual de aprendizagem inclusivo. Tese de doutoramento. PPEGC/UFSC. Florianópolis, SC, 2011.

OLIVEIRA, E. A., TEDESCO, P. "i-collaboration: Um modelo de colaboração inteligente personalizada para ambientes de EaD". Anais 195 do XVIII Simpósio Brasileiro de Informática na Educação - SBIE. Pp. 412-421. São Paulo – SP. 2010.

OSGUTHORPE, R. T.; GRAHAM, C. R. BLENDED LEARNING ENVIRONMENTS. Definitions and Directions. The Quarterly Review of Distance Education: V. 4 - pp. 227-233. 2003.

PEREIRA, Alice T. Cybis. (org.). AVA - Ambientes Virtuais de Aprendizagem emDiferentes Contextos. Rio de Janeiro: Editora Ciência Moderna, 2007.

PREECE, Jenny; ROGERS, Yvonne; SHARP, Helen. Design de interação. Grupo A, 2005.

PETERS, Otto. Didática do ensino a distância. Editora UNISINOS, 2006.

SILVA, Marco. Sala de aula interativa: a educação presencial e a distância em sintonia com a era digital e com a cidadania. Boletim Técnico do SENAC, v. 27, n. 2, 2001.

TAKEUCHI, Hirotaka; NONAKA, Ikujiro. Gestão do conhecimento. Bookman, 2008.

TEJEDOR, F. Aportaciones de las TIC al desarrollo social. En Boza, A.,Méndez,J., Monescillo, M. y De la O Toscano, M. Educación, Investigación y Desarrollo Social. Madrid: Narcea. 2010.

VALENTE, José Armando; Moran José Manuel; ARANTES, V. A. Educação a Distância: pontos e contrapontos. 1. ed. São Paulo: Summus Editora, 2011. v. 1. 134p . 2011.

ZANANDREA, Gabriela, 1987- Estudos do fluxo de conhecimento entre atores da cadeia produtiva da maçã / Gabriela Zanandrea. - 2014.

Publicado
2017-05-24
Seção
Artigos