“Expansão da educação superior a distância em Moçambique”: perfi s, expectativas e percepções dos estudantes de um programa de cooperação internacional

  • Oreste Preti
  • Maria Angélica Barbieri
Palavras-chave: inclusão social, perfi l de estudantes, expectativas educacionais

Resumo

Em fevereiro de 2011, quase 700 servidores públicos de Moçambique começaram o ano letivo de quatro cursos de graduação a distância, uma parceria entre quatro universidades federais do Brasil e duas públicas de Moçambique, um programa de cooperação internacional, sob a coordenação da CAPES/ MEC. No encontro presencial nos Polos foi aplicado aos estudantes que se fi zeram presentes (85,0% do total) questionário sócioeconômico-cultural, composto por 44 questões, para traçar seu perfi l. Os dados coletados apontaram características comuns entre os estudantes dos cursos de formação de professores (Biologia, Pedagogia e Matemática) e os estudantes do curso de Administração Pública em relação à idade, escolaridade, tempo de serviço, fertilidade, condições de moradia, meios de comunicação. Porém, apresentaram diferenças em relação a gênero, a hábitos de estudo, ao trabalho, à profi ssão, às suas expectativas e à modalidade a distância. Quando os dados foram comparados por polos, também se percebeu que os estudantes do Polo de Lichinga, ao norte do país, estão em situação menos privilegiada do que os demais estudantes em relação à distância do polo, ao tempo que emprega para chegar ao polo, ao acesso a locais com internet. Há um sentimento geral de “adaptação” à profi ssão e ao curso e, ao mesmo tempo, a percepção de que o programa poderá contribuir no processo de inclusão de mais pessoas que não teriam acesso à universidade, na melhoria de suas condições de vida e também na melhoria da oferta de serviços à população.

Biografia do Autor

Oreste Preti
Universidade Federal de Mato Grosso; Coordenador residente do Programa de Apoio à Expansão da Educação Superior a Distância na República de Moçambique (2011-)
Maria Angélica Barbieri
Universidade Federal de Mato Grosso − UFMT

Referências

FRANCISCO, António. Ter muitos fi lhos, principal forma de protecção social numa transição demográfi ca incipiente: o caso de Moçambique. In: BRITO, Luis de et al. (Org.). Desafi os para Moçambique – 2011. Maputo: IESE, 2011. p. 231-282.

MARTINS, Valdinácio F. Paulo. Moodle: funcionalidade e potencialidade. Maputo: CEAD/UP, 19.9.2011.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Instituto Nacional de Desenvolvimento da Educação. Plano Curricular de Formação de Professores para o Ensino Primário. Maputo, dez. 2006.

_____________________. Plano Estratégico de Educação e Cultura – 2006-2010/11 – Fazer da escola um pólo de desenvolvimento consolidando a Moçambicanidade. Maputo, 2006.

NGOENHA, Severino E. Por um pensamento engajado. In: __________; CASTIANO, José P. Pensamento Engajado: Ensaios sobre Filosofi a Africana, Educação e Cultura Política. Maputo: Educar / Universidade Pedagógica, 2011. p. 13-39.

SARDC. Southern African Research and Documentation Centre. Moçambique – Relatório Nacional de DesenvolvimentoHumano, 2007. Disponível em www.sardc.net

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE. Instituto Nacional de Estatística. Disponível em http://www.ine.gov.mz

Publicado
2013-05-24
Seção
Artigos