LETRAMENTO DIGITAL E O ENSINO A DISTÂNCIA

UM ESTUDO DE PERFIL DIGITAL DOS ALUNOS DA UNIVERSIDADE VIRTUAL DO ESTADO DE SÃO PAULO

  • Sheila Freitas Gomes USP
  • Carlos Roberto Cardoso Ferreira
  • Daniel Garcia Ribeiro
  • Erika Guetti Suca
  • Simone Telles Martins Ramos
Palavras-chave: Letramento, Competências, Ensino Superior, EaD, Perfil, ]

Resumo

A Educação a Distância (EaD) é uma modalidade de ensino que apresenta uma crescente participação no ensino superior brasileiro nos últimos anos. Com a ascensão desta modalidade, faz-se necessário pensar em uma formação discente atenta para o uso crítico, criativo e competente dos ambientes virtuais. Neste contexto, o presente artigo tem por objetivo analisar o perfil de letramento digital dos alunos ingressantes da Universidade Virtual de São Paulo. A pesquisa tem caráter qualitativo de cunho exploratório-descritivo. O instrumento de coleta utilizado foi um questionário adaptado do quadro europeu de referência para a competência digital – DIGCOMP. O DIGCOMP é estruturado em: (i) dimensões; (ii) áreas; (iii) competências e; (iv) níveis de proficiência. Estes fatores contribuem para compreender o nível de competência digital que os alunos ingressantes da UNIVESP possuem. Os resultados mostram que o perfil de letramento digital dos estudantes está aquém do ideal. Constatou-se que o perfil de alunos ingressantes não possui, de modo geral, um nível adequado das competências digitais necessárias para e na EaD. Caberá, portanto, à educação superior promover o acesso às tecnologias digitais e a inclusão de medidas que possibilitem o letramento digital de seus estudantes, para que, quiçá, haja alguma equidade nos níveis de competências digitais.

Referências

ABED. Censo EAD.BR 2017/2018: relatório analítico da aprendizagem a distância no Brasil, 2018. Disponível em: .Acesso em 17/05/22.

ACCENTURE. Getting to equal - How digital is helping close the gender gap at work, 2016. Disponível em: . Acesso em 17/05/22.
ARAÚJO, M. M. S. de. O pensamento complexo: desafios emergentes para a educação on-line. Revista Brasileira de Educação, 12(36), 515-529, 2007. https://dx.doi.org/10.1590/S1413-24782007000300010
BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular - Educação é a base, 2017. Disponível em: Acesso em 17/05/22.
BRASIL. Ministério da Educação. Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação no contexto escolar: possibilidades, 2018. Disponível em: . Acesso em 17/05/22.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – Inep, 2019. Disponível em: . Acesso em 17/05/22.
BUZATO, M. El K. (2009). Letramento e inclusão: do estado-nação à era das TIC. DELTA: Documentação de Estudos em Lingüística Teórica e Aplicada, 25(1), 01-38, 2009. https://doi.org/10.1590/S0102-44502009000100001
CARRETERO, S.; VUORIKARI, R.; PUNIE, Y.. DigComp 2.1: The Digital Competence Framework for Citizens with eight proficiency levels and examples of use, 2017. Disponível em: <10.2760/38842>. Acesso em 17/05/22.
CENTRO REGIONAL DE ESTUDOS PARA O DESENVOLVIMENTO DA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO SOB OS AUSPÍCIOS DA UNESCO - CETIC.BR., 2020. Disponível em: . Acesso em 17/05/22.
DIGITAL 2019 Brazil. v01. Data Reportal, 2019. Disponível em: . Acesso em 17/05/22.
EUROPEAN UNION. Recommendation of the European Parliament and the Council of 18 December 2006 on Key Competences for Lifelong Learning, 2006. Official Journal of the European Union (2006/962/EC), L394/10-18. Disponível em: . Acesso em 17/05/22.
FERRARI, Anusca. DIGCOMP: a framework for developing and understanding digital
competence in Europe. União Europeia: Yves Punie and Barbara N. Brečko. 2013.
FREIRE, P. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. 20. ed. São Paulo: Cortez, 1987.
FREITAS, M. T. Letramento digital e formação de professores. Educação em Revista, 26(3), 335-352. 2010. https://doi.org/10.1590/S0102-46982010000300017
INSTITUTO PAULO MONTENEGRO.. Indicador de Alfabetismo Funcional 2018: resultados preliminares. São Paulo: Ação Educativa,2018
ISAAK, J.; Hanna, M. J. User Data Privacy: Facebook, Cambridge Analytica, and Privacy Protection, in Computer, vol. 51, no. 8, pp. 56-59, 2018. https://doi.org/10.1109/MC.2018.3191268
KENSKI, V. M. Educação e Tecnologias: o Novo Ritmo Da informação. Papirus – 8° ed.- Campinas,SP: Papirus, 2012.
MAHONEY, A. A.; Almeida, L. R. de. (Org.). Henri Wallon: Psicologia e Educação. São Paulo: Edição Loyola, 2020.
RELATÓRIO BRASIL NO PISA 2018 (versão preliminar). Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Brasília-DF Inep/MEC, 2019. Disponível em:. Acesso em 17/05/22.
AUTOR. Título. f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP), São Paulo, ano.
RIBEIRO, V. M., Vóvio, Claudia Lemos, & Moura, Mayra Patrícia. Letramento no Brasil: alguns resultados do indicador nacional de alfabetismo funcional. Educação & Sociedade, 23(81), 49-70, 2002. https://doi.org/10.1590/S0101-73302002008100004
RIBEIRO, D. G., AUTOR, S. Tecnologias Digitais na Educação a Distância: das necessidades de um letramento digital efetivo para uma prática pedagógica ideal. In: Garbin, M. C., et al. (org.). Tecnologias na Educação: Ensino, Aprendizagem e Políticas. São Paulo: Artesanato Educacional, 2021. p.119-137.
SOARES, M. . Letramento: um tema em três gêneros. – 3. ed. – Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2002.
UNIVESP. Folder Univesp, 2020b. Disponível em: Acesso em: 17/05/22.
UNIVESP. Institucional Univesp - História. 2020a. Disponível em: Acesso em: 17/05/22.
UNIVESP. Plano de Desenvolvimento Institucional - 2018-2022. (2018). Disponível em: . Acesso em: 17/05/22.
VUORIKARI, R., PUNIE, Y., CARRETERO GOMEZ, S., VAN DEN BRANDE, G. DigComp 2.0: The Digital Competence Framework for Citizens. Update Phase 1 The Conceptual Reference Model. Luxembourg Publication Office of the European Union, 2016.
Publicado
2022-09-22
Seção
Artigos Originais