A INTEGRIDADE ACADÊMICA NA EDUCAÇÃO SUPERIOR

POSSIBILIDADES DE USO DE UM RECURSO EDUCACIONAL ABERTO

Palavras-chave: ensino superior a distância, recursos educacionais abertos, objetos de aprendizagem, formação profissional

Resumo

Abordar o tema da integridade acadêmica na educação superior pode ser desafiador, dependendo da área de conhecimento. A falta de comunicação direta entre universidade e estudantes, e vice-versa, assim como o pouco material didático adequado e pensado para o público da modalidade a distância, são fatores que podem impactar as produções dos estudantes, provocando o uso inadequado de textos acadêmicos na formulação de produções próprias. Além disso, as equipes das universidades podem não conseguir atender às demandas sobre instruções para a produção acadêmica, requeridas pelos estudantes. Neste sentido, uma equipe formada por pedagogos, designers instrucionais e especialistas em arte e tecnologia de uma universidade pública virtual desenvolveram um Recurso Educacional Aberto (REA) para orientar os estudantes universitários na elaboração de suas produções acadêmicas. Por meio de uma pesquisa exploratória de cunho qualitativo, esse recurso foi avaliado por um grupo de docentes de diferentes áreas do conhecimento e diversas instituições de educação superior. Como resultados, os docentes apontam certos problemas sobre a integridade acadêmica em suas aulas, especialmente nos cursos da área de humanas, e sugerem formas diversas de explorar este material didático. Assim, o objetivo deste artigo é, a partir da experiência desenvolvida na elaboração de um material didático sobre integridade acadêmica,  descrever, analisar e propor ações para o trabalho com estudantes da educação superior em diferentes contextos, especialmente na educação a distância.

Biografia do Autor

Roberta Flaborea-Favaro , Universidade Externado da Colômbia
Licenciada em Pedagogia na Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (2004). Mestre em Educação pela Universidade de los Andes, Bogotá, Colômbia (2009). Doutorado em Educação pela Universidade Autônoma de Barcelona, Espanha (2016), e pós-doutorado em educação na Universidade de São Paulo (2020). Desde 2016 é professora do mestrado em Educação da Universidade Externado de Colômbia, assim como pesquisadora em temas de formação de professores, currículo e pedagogia e linguagem, na mesma universidade. 
Fernanda Matuda, Centro Universitário Senac
Licenciada em Pedagogia, mestre e doutora em Educação pela Universidade de São Paulo. Atualmente é docente do Curso de Tecnologias na Aprendizagem - Pós-graduação EAD, do Centro Universitário Senac.
Marcos Evandro Galini, Faculdades Campos Salles
Coordenador do curso de pedagogia da Faculdade Campos Salles
Nádia Rubio Pirillo , Universidade Virtual do Estado de São Paulo
Doutoranda em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Mestra e graduada em Comunicação Social pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp). Atualmente, é designer instrucional da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp).

Referências

AMIEL, T. Educação aberta: configurando ambientes, práticas e recursos educacionais. In: SANTANA, Bianca; ROSSINI, C; PRETTO, N. L. (org.) Recursos Educacionais Abertos: práticas colaborativas políticas públicas. 1. ed., 1 imp. Salvador: Edufba; São Paulo: Casa da Cultura Digital. 2012. pp. 17-33.

ASTUDILLO, M.; LEGUÍZAMO-LEÓN, A. V. .; CALLEJA, E. . G. . Oportunidades do novo espaço educativo para a educação superior: terceiro entorno digital. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, SP, v. 8, n. 00, p. e022008, 2021. DOI: 10.20396/riesup.v8i00.8659282. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8659282. Acesso em: 3 mar. 2022.

AZANHA, José Mário Pires. Uma reflexão sobre a formação do professor da escola básica. In: _____. A formação do professor e outros escritos. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2006, p.53-74.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Tradução de Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70, 2016.

FILATRO, Andrea. Design instrucional contextualizado: educação e tecnologia. 3. Ed. São Paulo: Senac, 2010.

FILATRO, Andrea. Design instrucional na prática. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2018.
FLICK, U. (2004). Introducción a la investigación cualitativa. Ediciones Morata, Madrid.

FONSECA, Janaína Zaidan Bicalho. Universidade e produção de conhecimento na formação inicial: uma estratégia didática para o ensino da escrita acadêmica. Trab. Ling. Aplic., Campinas, n(58.3): 1264-1281, set./dez. 2019. Disponível em . Acesso em: 3 mar. 2022.

KENSKI, Vani Moreira. Design instrucional: conceitos e competências. In: KENSKI, V.M (org.). Design Instrucional para cursos on-line. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2015. pp.21-57.

KENSKI, V. M.; MEDEIROS, R. A.; ORDÉAS, J. Ensino superior em tempos mediados pelas tecnologias digitais. Trabalho & Educação, v.28, n.1, 2019, p.141-152.

LEFFA, Vilson J. Sistemas de autoria para a produção de objetos de aprendizagem. In: BRAGA, Junia (Org.). Integrando tecnologias no ensino de Inglês nos anos finais do Ensino Fundamental. São Paulo: Edições SM, 2012, p. 174-191. (Coleção Somos Mestres; PNBE do Professor, 2013). Disponível em http://www.leffa.pro.br/textos/trabalhos/Sistemas_de_autoria.pdf. Acesso em: 19 mar. 2022

LEITE, Evandro Gonçalves, PEREIRA, Regina Celi Mendes. Práticas de letramento acadêmico na construção do pertencimento de alunos de iniciação científica a comunidades de prática: uma análise a partir de relatórios de pesquisa. Delta. São Paulo, v.3, 2021. Disponível em . Acesso em: 3 mar. 2022.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia científica. 8. ed. Barueri: Atlas, 2022.

MENDES, R. M.; SOUSA, V. I.; CAREGNATO, S. E. A propriedade intelectual na elaboração de objetos de aprendizagem. In: ENCONTRO NACIONAL DE CIÊNCIA 408 Alfa, São Paulo, v.61, n.2, p.381-408, 2017 DA INFORMAÇÃO, 5., 2004, Salvador, Anais. Salvador: Ed. da UFBA, 2004. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/10183/548. Acesso em: 19 mar. 2022.

MILL, Daniel; RIBEIRO, Luis Roberto de Camargo; OLIVEIRA, Marcia Rozenfeld Gomes de (org.). Polidocência na educação a distância: múltiplos enfoques. 2. ed. São Carlos, SP: EduFSCar, 2014.

NUNES, Lucília. Estratégias Promotoras da Integridade Académica e Científica - Instituições de Ensino Superior em Portugal. Instituto Politécnico de Setúbal, 2019.

OLIVEIRA, Sérgio de Freitas. As vozes presentes no texto acadêmico e a explicitação da autoria. Pedagogia em ação, v.6, n. 1, 2014.

PITHAN, Lívia; VIDAL, Tatiane. O plágio acadêmico como um problema ético, jurídico e pedagógico. Direito & Justiça, v. 39, n. 1, p. 77-82, jan./jun. 2013

ROSSINI, Carolina; GONZALEZ, Cristiana. REA: o debate em política pública e as oportunidades para o mercado. In: SANTANA, Bianca; ROSSINI, C; PRETTO, N. L. (org.) Recursos Educacionais Abertos: práticas colaborativas políticas públicas. 1. ed., 1 imp. Salvador: Edufba; São Paulo: Casa da Cultura Digital. 2012. pp. 35-69.

SANTANA, Bianca; ROSSINI, Carolina; PRETTO, N. L. (org.) Recursos Educacionais Abertos: práticas colaborativas políticas públicas. 1. ed., 1 imp. Salvador: Edufba; São Paulo: Casa da Cultura Digital. 2012.

SILVA, Ketia Kellen Araújo. BEHAR, Patrícia Alejandra. Competências digitais na educação: uma discussão acerca do conceito. Educação em Revista. Belo Horizonte, v.35, 2019. Disponível em . Acesso em: 3 mar. 2022.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2010.

TORI, Romero. Usos das novas tecnologias em cursos on-line. In: KENSKI, V.M (org.). Design Instrucional para cursos on-line. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2015. pp. 59-89.

UNESCO, Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Diretrizes para recursos educacionais abertos (REA) no Ensino Superior. UNESCO: Paris, 2015. Disponível em . Acesso em 31 mar. 2022.

UNIVESP. Universidade Virtual do Estado de São Paulo. Modelo Pedagógico da Univesp, 2020. Disponível em . Acesso em 17 jul 2020

UNIVESP. Universidade Virtual do Estado de São Paulo. Plano de Desenvolvimento Institucional 2018-2022. São Paulo: UNIVESP, 2018. Disponível em . Acesso em 03 jun. 2022.
Publicado
2022-11-25
Seção
Artigos Originais