BICHO DE SETE CABEÇAS? TFC EM LICENCIATURAS DA UAB E FORMAÇÃO DE PROFESSORES-PESQUISADORES

Palavras-chave: Formação de Professores. Formação Cientifica. Política Educacional Universidade Aberta do Brasil.

Resumo

O estudo apresentado neste artigo articula-se à política nacional de melhoria da formação de professores do Ministério da Educação (MEC), que, por meio de projetos e programas descentralizados junto às universidades brasileiras, principalmente as públicas, vem sendo implementada com incentivo à inclusão de atividades de pesquisa relacionadas ao processo de formação docente. Em seu campo teórico, a investigação fundamenta-se na abordagem reflexiva de autores e pesquisadores que discutem a temática formação do professor-pesquisador. No campo empírico da pesquisa, referenciais subsidiam à análise e composição dos dados: (1) Relatório Parcial do Grupo Nacional de Formação Cientifica; (2) Projeto Piloto de Iniciação Cientifica (2021), desenvolvido pela equipe da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) no âmbito da Universidade Aberta do Brasil (UAB); e, ainda, (3) Respostas ao questionário aplicado ao grupo de quarenta e dois discentes em fase  de orientação e finalização do Trabalho de Final de Curso (TFC). É possível compreender que o ensino-pesquisa, aliados às atividades de extensão, representam estímulos acadêmicos que regem o funcionamento de todas universidades públicas, e no caso da UAB não é diferente. Portanto, algumas das principais ações de incentivo à comunidade UAB tem se intensificado por meio da prospecção de estudos e pesquisas, sobretudo no campo teórico e prático de um conceito inovador para uma formação de um professor pesquisador, ou seja, a inserção do tema pesquisa nos projetos pedagógicos dos cursos de licenciaturas apresenta-se como requisito à melhoria da formação, principalmente devido ao fortalecimento e aprimoramento das ferramentas tecnológicas aplicadas à educação.

Biografia do Autor

Reinaldo Portal Domingo, Universidade Federal do Maranhão (UFMA)
Possui pós-doutorado pela Universidade Nacional a Distancia (UNED) do Madrid, Espanha (2015), doutorado em Tecnologia Educativa pela Academia de Educação da Rússia (1992). Formado em Letras pela Universidade Pedagógica de Moscou (Russia) em 1978. Atualmente é professor titular da Universidade Federal do Maranhão, professor adjunto III da Universidade Federal do Maranhão. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: educação a distancia, médios de ensino, tecnologia educativa, computação educativa e educação, uso da internet, currículo, avaliação, metodologia da pesquisa e identidade. Coordenador Pedagógico do Núcleo de Educação a Distancia da UFMA. Professor do Mestrado PGCult/UFMA e Profarte/UFMA. E-mail rportaldomingo@outlook.es, rportaldomingo@yahoo.com.br.
LIRA L.A.R., Coordenação-Geral de Programas e Cursos em EaD CGPC>DED. CAPES
Possui graduação em Administração pela Associação de Ensino Unificado do DF (1987). Especialização em Administração Financeira do Setor Público e Privado (AEUDF). Especialização em Educação,Ciência e Tecnologia (PAI/CAPES). Mestrado em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (2003) e Doutorado em Educação pela Universidade Metodista de Piracicaba (2009). Diretor Acadêmico da Faculdade Serrana de Ensino Superior (2004-2012). Professor Titular da Faculdade Serrana/DF (2004-2012). Professor da UNIP/DF. Professor da FIPLAC/DF. Professor da FTB/DF. Coordenador de Programas Especiais da CAPES/MEC (1990 -1996). Coordenador do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico/PADCT/CAPES (1989-1996). Coordenador do Programa de Educação para Ciências/SPEC/PADCT/CAPES e Prociências/CAPES (1996 -2001). Auditoria Interna da CAPES (2002-2003). Chefe da Seção de Execução Financeira e Orçamentaria da CAPES (1982-1989). Chefe da Divisão de Prestação de Contas da CAPES (2003-2005). Coordenador de Supervisão e Fomento da UAB/CAPES (2012). Coordenador de Programas e Cursos em Educação a Distância da CAPES/MEC(2013). Diretor substituto da Diretoria de Educação a Distância da CAPES (2017). Consultor Científico do IDLT- MA (2008). Membro da Diretoria do Centro de Gestão em Educação Continuada (CEGECON). Analista em Ciência e Tecnologia do Quadro Permanente da CAPES/MEC desde 1982. Professor e Coordenador de Curso da Faculdade Ideal de Brasília (2013). Professor Titular e Coordenador de Curso da Faculdade Horizonte - DF (2015). Diretor de Graduação e Pós-graduação da Faculdade Horizonte (2019). Tem experiência na área de Administração e Política e Gestão da Educação.Avaliador do BASIS/MEC (2006). Pesquisador e Consultor na área de Educação,Ciência e Tecnologia. Política, Gestão e Financiamento de Programas de Educação. Accountability nas áreas de Ciência e Tecnologia.

Referências

ANDRÉ, Marli. O papel mediador da pesquisa no ensino da didática. In: ANDRÉ, M. e OLIVEIRA, M. R. (orgs.) Alternativas do ensino da didática. Campinas: Papirus, 1997, p.19- 36.
_____. Pesquisa, formação e prática docente. In: ANDRÉ, Marli. (Org.) O papel da pesquisa na formação e na prática dos professores. 5. ed. Campinas: Papirus, 2006.
BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular: educação é a base. Brasília, DF: MEC, 2017.
BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP n. 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Diário Oficial da União, Brasília, 15 de abril de 2019, Seção 1, p. 46-49
BRASIL Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, já alterada pela Lei 13.415/2017.Brasília, DF: Presidência da República, 2021.Acesso em: 05 de out.2021.

BRASIL. Resolução CNE/CP n.2, de 22 de dezembro de 2017. Institui e orienta a implantação da Base Nacional Comum Curricular, a ser respeitada obrigatoriamente ao longo das etapas e respectivas modalidades no âmbito da Educação Básica. Diário Oficial da União, Brasília, 22 de dezembro de 2017, Seção 1, p. 41-44

COCHRAN-SMITH, Marilyn e LYTLE, L. Susan. Relationships of knowledge and practice: teacher learning in communities Sage Journals online - Review of Research in Education. January 1999. Disponível em: http://rre.sagepub.com/content/24/1/249.full.pdf+html Acesso em 25 set. 2021.
CONTRERAS, José. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002.
DEMO, Pedro. A imersão de estudantes em atividades investigativas. In: http://processoinvestigativo.blogspot.com.br/. Acesso em 29/03/2012.
DEMO Pedro. Educar pela pesquisa. Autores associados. SP. 2015.
DOMINGO, Portal Reinaldo. Los objetos de aprendizaje (OA) para la disciplina de Metodologia de la Investigacion de los cursos de licenciatura a distancia. Paidéi@ (Santos), v. vol. 10,, p. 00-00. 2018.
DOMINGO, Portal Reinaldo. La “Investigación” en los cursos de licenciatura de la modalidad a distancia: actualidad y futuro en el ejemplo de la UFMA. EDUCAÇÃO & LINGUAGEM (Online), v. 21., p. 109-119. 2018.
DOMINGO, Portal Reinaldo. Entrevista: La Investigacion en Ciencias Sociales y Educación - Entrevista con destacados especialistas sobre investigación en educación. Revista interdisciplinar em Cultura e Sociedade, v. 5, p. 146-156. 2019.
DUSSEL, Inés. A transmissão cultural assediada: metamorfoses da cultura comum na escola. Caderno de Pesquisa. São Paulo, vol.39, n. 137, maio/ago. 2009, p. 351- 365.
GATTI, Bernadete. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educ.Soc., Campinas, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out.-dez. 2010.
LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.
LÜDKE, Menga. O professor, seu saber e sua pesquisa. Educação & Sociedade. Campinas: Unicamp, vol. 22, nº 74, abril, 2001, p 77-96.
______. A complexa relação entre o professor e a pesquisa. In: ANDRÉ, Marli. (org.) O papel da pesquisa na formação e na prática dos professores. 5. ed. Campinas: Papirus, 2006, p.27-54.
NÓVOA, Antônio. Formação de professores e profissão docente. In: NÓVOA, A. (org.) Os Professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.
NÓVOA, Antônio. (Org.) Os Professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.
____. Uma análise crítica sobre a “reflexão” como conceito estruturante na formação docente. Educação e Sociedade. Vol. 29, n. 103. Campinas: Unicamp, p. 535-554, maio/ago. 2008. Disponível em . Acesso em: 25 setembro 2011.
OLIVEIRA Luiza Carvalho de. Esquina da Pesquisa: uma proposta para educar pela pesquisa os alunos dos cursos de licenciatura em EaD da Ufma. Dissertação. UFMA. 2015
OLIVEIRA, A.E.F; ANDRADE, A.F.A ; TEIXEIRA, T.G .Relatório Final do Projeto Piloto de Iniciação Científica da UFMA/UAB/CAPES (Relatório/2021), Maranhão, MA, Diretoria de Tecnologias na Educação,UFMA.
TARDIF Maurice. Saberes docentes e formação profissional, Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.
ZEICHNER, Kenneth. Novos caminhos para o practicum: uma perspectiva para os anos 90. In: NÓVOA, A. (Org.) Os Professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992.
____. Uma análise crítica sobre a “reflexão” como conceito estruturante na formação docente. Educação e Sociedade. Vol. 29, n. 103. Campinas: Unicamp, p. 535-554, maio/ago. 2008. Disponível em . Acesso em: 25 setembro 2011.
fonte: Relatório final de execução do Projeto Piloto de Iniciação Científica. DED/CAPES, (02 de julho de 2021).
Publicado
2022-05-23
Seção
Artigos Originais